Hot 100: Mariah Carey retorna ao top 3 com hino do natal
Foto: Instagram @mariahcarey
in ,

É janeiro, mas Mariah Carey anunciou projeto de natal

Cantora lançará seu primeiro livro infantil.

O natal passou, Mariah Carey continua a rainha, já que ela ficou em primeiro lugar com  All I Want For Christmas Is You. Agora que já é janeiro, é hora de pensar em projetos com outras temáticas, não é mesmo? Não para ela, já que ela anunciou nesta quarta-feira, 12 de janeiro, um livro infantil de natal chamado “The Christmas Princess“.

Essa é a capa:

É janeiro, mas Mariah Carey anunciou projeto de natal
Foto: Divulgação

Leia Mais:

O livro será lançado entre setembro e novembro deste ano e será o primeiro livro infantil da cantora. A personagem principal é inspirada nela própria em uma versão infantil. A temática leva em consideração os conflitos que passou na sociedade por ser birracial – a mãe é branca e o pai é negro.

The Christmas Princess é um conto de fadas para os amantes do natal de todas as idades! A pequena Mariah representa minha criança interior acreditando em sua própria visão, ela representa todas as crianças, especialmente aquelas que se sentem como diferente dos outros, lutando para acreditar em si mesmas. Foi empoderador transformar minha turbulência de infância em um conto de fadas clássico moderno cheio de maravilha e esperança sem limites“, explicou Mariah Carey sobre o projeto.

Mariah Carey sofreu preconceito por ser birracial

Descubra quem são os 10 artistas mais ouvidos do Spotify!
(Foto: Divulgação)

Em 2018, Mariah Carey deu uma entrevista falando sobre o que passou sendo birracial. “Eu tive que passar por tanta coisa na minha infância apenas para me sentir aceita e sentir-me digna de existir na Terra porque me sentia tão diferente de todo mundo, porque era birracial, porque eu tinha uma aparência tão ambígua e por não ter o dinheiro para escapar do que quer que seja a realidade cotidiana da vida”, desabafou.

Eu tenho baixa auto-estima”, confessou. Ela ainda afirma que seu problema com transtorno bipolar tem a ver com o assunto. “Foi uma combinação de ser birracial e experimentar o lado mais sombrio da vida. Minha mãe experimentou muito racismo como cantora de ópera porque era casada com um homem negro. Novamente, é impossível entender tudo isso nesse cenário”, soltou.

Escrito por Caian Nunes

Filha de Tadeu Schmidt é queer e apoia pautas feministas e LGBTQIA+ nas redes

Globo pode faturar mais de R$ 100 milhões com The Masked Singer