Taylor Swift e Doja Cat vendem álbuns digitais autografados
Taylor Swift e Doja Cat. Foto: Getty Images
in

Taylor Swift e Doja Cat vendem álbuns com autógrafos digitais

Billboard compila informações de vendas de “Evermore” e “Planet Her” aliadas com dados da MRC Data, para constatar o crescimento da tendência de capas autografadas em NFT na indústria

Os autógrafos foram por muito tempo um dos principais pedidos dos fãs que queriam eternizar um encontro com um artista. Há alguns anos, as assinaturas em um caderno ou camisa, por exemplo, foram dando espaço para os registros em foto ou vídeo, mas, para muitos, ainda é um importante vínculo com seu artista preferido. As cantoras Taylor Swift e Doja Cat estão entre os artistas que começaram a vender álbuns digitais, para download, com as capas autografadas digitalmente em NFT.

De acordo com a Billboard, no início deste ano, quando “Evermore” de Taylor Swift vendeu 102.000 mil cópias de vinil em uma semanaestabelecendo um recorde da era moderna, e levou o álbum com 6 meses de lançado de volta ao primeiro lugar na parada da Billboard 200 – ele tinha uma arma secreta para ajudá-lo ao longo do seu caminho: as vendas digitais.

Em 3 de junho, por apenas um dia, Swift vendeu quatro versões autografadas digitalmente com sua assinatura rabiscada na capa do novo álbum de sua loja online por US $ 4,99 cada (cerca de R$ 27).

Conheça 3 tendências de crescimento dos Downloads na música em 2021

Essas cópias – que também incluíram um remix de dança bônus de “Willow” – elevaram as vendas digitais gerais do álbum para 21.000 mil, na semana que terminou em 3 de junho acima das 400 vendidas na semana anterior, de acordo com todos os varejistas dos EUA presentes na análise da MRC Data. Esse fato, ajudou a conduzir Evermore da posição 74º na semana anterior, ao 1º lugar no gráfico datado de 12 de junho da MRC Data.

aylor Swift vende álbum Evermore com autógrafos digitais
aylor Swift vende álbum Evermore com autógrafos digitais. Foto: Reprodução Billboard

Segundo a Billboard, “Evermore” ainda tinha mais do que LPs de vinil e downloads digitais ajudando suas vendas naquela semana. As vendas de CDs de Evermore foram impulsionadas pela disponibilidade de CDs assinados por Swift em sua loja na web, que entrou em pré-venda no início de maio, e em varejistas independentes.

Na semana que terminou em 3 de junho, Evermore vendeu 69.000 mil álbuns de CDs, mais de 1.800 na semana anterior. Mas, desde então, a estratégia de lançar capas de álbuns autografados digitalmente ganhou força entre os artistas que buscam um aumento rápido nas vendas.

Afinal, o que são esses “álbuns com autógrafos digitais”?

Os álbuns digitais, nada mais são, do que um álbum musical disponível para Download após ser comercializado, método conhecido da indústria musical. O que muda com esses álbuns digitais com autógrafos é a presença da assinatura do artista na capa do álbum, em um formato de edição limitada como tokens não-fungíveis (NFT), mas, sem a capacidade de revendê-los, por serem versões exclusivas.

NFT é o registro de uma obra digital, semelhante a um contrato feito na vida real, só que em formato digital e impossível de ser apagado. Dessa forma, os autógrafos digitais existem apenas no computador de um fã, e não poderão ser revendidos ou doados, por exemplos. Os NFTs capturaram a atenção da indústria musical a partir de fevereiro de 2021 com vendas multimilionárias atreladas a versões exclusivas.

Leia Mais:

O conceito não é novo. A Billboard relembra que em 2012, quando as vendas digitais ainda estavam impulsionando a receita da música gravada, Ellie Goulding se gabou da “primeira assinatura de álbum digital do mundo” com seu segundo álbum “Halcyon”. Mais recentemente, Arnold Schwarzenegger usou a tecnologia de uma forma semelhante em setembro passado, quando um fã lhe enviou um cachimbo e o ator “autografou” uma foto sua usando-o online.

“Agora que estamos em 2020, eu simplesmente assino coisas na minha máquina e envio um e-mail se isso funcionar para você”, escreveu o ex-governador da Califórnia.

Enquanto isso, Taylor Swift não fez comentários sobre as versões assinadas digitalmente e sua gravadora, a Republic Records, não as comercializou como tal. O representante da Republic e Swift se recusaram a comentar sobre esse assunto com a Billboard. Ainda assim, acabou sendo o suficiente para enviar o álbum de volta ao primeiro lugar e ultrapassar “Sour” de Olivia Rodrigo de uma segunda semana no topo com 16.000 unidades vendidas.

As vendas de álbuns digitais de Evermore – todas com desconto para US $ 4,99 em todo o varejo digital – foram responsáveis ​​por mais de 10% das 202.000 unidades de álbum equivalentes ganhas na semana, com 192.000 mil no total de vendas. O Sour, por sua vez, faturou 186 mil unidades, com 86% dessa soma impulsionada pelos streams.

Impacto dos álbuns digitais autografados na indústria musical

Os movimentos de Taylor Swift podem ter encorajado outros nomes do mercado a investir em álbuns assinados digitalmente como meio de aumentar suas vendas. Embora, como as vendas de álbuns digitais continuem caindo – queda de 29% até agora este ano, durante a semana que terminou em 16 de setembro – nem todo mundo provavelmente terá o mesmo tipo de resultados.

No final de junho, quando Migos lançou o “Culture III” na Motown Records, o trio também lançou uma versão digitalmente assinada do álbum em sua loja virtual. No final das contas, o álbum vendeu 23.000 downloads em todo o varejo digital – só estava disponível para compra como um álbum digital – e ficou em segundo lugar na parada da Billboard 200 atrás do “Hall of Fame” de Polo G.

Em 18 de agosto, quase dois meses depois de “Planet Her” de Doja Cat ter estreado e atingido o segundo lugar na Billboard 200, sua gravadora, RCA Records, também lançou quatro álbuns de download assinados digitalmente por meio de sua loja na web, cada um com preço de $ 4,99.

Doja Cat vende álbum Planet Her com autógrafos digitais
Doja Cat vende álbum Planet Her com autógrafos digitais. Foto: Reprodução Billboard

Isso ajudou a impulsionar suas vendas de álbuns digitais em 540%, de 500 unidades na semana anterior, para 2.700 – mas não foi o suficiente para levá-la ao primeiro lugar. O álbum saltou 5º para 2º na Billboard 200 naquela semana.

Com cada um desses lançamentos, os fãs expressaram confusão em torno dos lançamentos nas redes sociais. “Eu realmente gosto de cultura III, mas isso é triste”, disse um pôster do Reddit sobre o álbum digitalmente assinado do trio megastar de hip-hop, embora outro expressasse respeito pela “agitação”.

“Doja baby, o que importa o autógrafo se for online?”, questionou um fã da artista, de acordo com a Billboard.

No próximo mês, de acordo com a Billboard, Swift está se preparando para uma grande semana de vendas para Fearless (Taylor’s Version) após o lançamento do LP de vinil em 1º de outubro. Ainda não há informações se incluirá edições para fãs autografadas digitalmente, mas as vendas de vinil devem ter um impacto significativo. Ela também está vendendo CDs que ela própria assinou fisicamente. Sobre a tendência do mercado para capas de álbuns assinadas digitalmente, os representantes da Motown, RCA e BigHit não responderam aos pedidos de comentários feitos pela Billboard.

 

Escrito por Láisa Naiane

Limp Bizkit lança nova música; ouça “Dad Vibes”

Mark Hoppus está livre do câncer