Kanye West defende cantar com os "cancelados" Marilyn Manson e DaBaby
Foto: Getty Images
in ,

Kanye West defende cantar com os “cancelados” Marilyn Manson e DaBaby

Ele ainda criticou o movimento “Me Too”.

Em agosto, quando Kanye West fez suas múltiplas audições do álbum “DONDA, ele causou polêmica por levar ao centro do palco Marilyn Manson e DaBaby. O motivo de tanto burburinho é que os dois estavam “cancelados”. Mesmo assim, ele fez esse provocação”. Em recente entrevista ao Drink Champs podcast, o rapper defendeu essa decisão.

“Toda essa questão do Me Too… Tipo, quando me sento ao lado de Marilyn Manson e DaBaby logo depois que os dois foram cancelados, por cinco músicas, você sabe, é como se eles não pudessem cancelar todos nós”, explicou Kanye.

DaBaby, Kanye West and Marilyn Manson
Foto: Getty Images

Leia Mais:

DaBaby, para quem não está lembrando, teve falas homofóbicas e sorofóbicas (contra portadores do vírus HIV) em pleno show. Por outro lado, Marilyn Manson tem múltiplas acusações de estupro e assédio.

“Eles vão te bater com as acusações de alguém com quem você estava há 10 anos” – Kanye West.

Ele continuou: “E também, há mulheres que passaram por coisas realmente sérias, entraram em becos contra a vontade – isso é diferente de um abraço, mas é classificado como a mesma coisa“, soltou.

Kanye West contra o movimento “Me Too”?

Ficou parecendo, durante a entrevista, que Kanye West estava fazendo pouco caso do movimento “Me Too”, que estimula mulheres a denunciarem casos de abuso sexual. Para ele, nem sempre é justo.

É poder e política. Você sabe, maníacos famintos por poder e apenas controle. Este é o controle da mente de 1984 em que estamos“, completou o artista em fala controversa.

Confira a entrevista na íntegra no vídeo abaixo:

Escrito por Caian Nunes

Globo promove oficina gratuita de produção em estúdios caseiros

VOTE: Qual peão será indicado por Marina na 8ª roça de “A Fazenda”?