banner com link para rádio globo
Como funciona a seção dos vídeos "Em Alta" do YouTube?
Como funciona a seção dos vídeos "Em Alta" do YouTube?. Foto: Reprodução/YouTube
in

Como funciona a seção dos vídeos “Em Alta” no YouTube?

Com o objetivo de destacar vídeos que podem interessar a vários espectadores, saiba quais são os critérios para o “Em Alta” do YouTube na prática

A seção “Em alta” ajuda os espectadores a ver o que está acontecendo no YouTube e no mundo. O objetivo dela é destacar vídeos que podem interessar a vários espectadores. Alguns destaques são previsíveis, como a música nova de um artista famoso ou o trailer de um filme. Outros são surpreendentes, como um vídeo viral. Conheça mais detalhes sobre como esse recurso funciona na prática!

Leia Mais:

Essa seção não é personalizada e mostra a mesma lista de vídeos em alta em cada país para todos os usuários. Por isso, pode ser que você veja vídeos em um idioma diferente do configurado no seu navegador. Excepcionalmente na Índia, a seção “Em alta” mostra a mesma lista de vídeos para os nove idiomas índicos mais comuns.

A lista de vídeos em alta é atualizada mais ou menos a cada 15 minutos. Em cada atualização, os vídeos podem subir, descer ou ficar na mesma posição na lista.

Atualmente, o clipe de "Malvada", de Zé Felipe é o vídeo número 1 "Em Alta" no YouTube
Atualmente, o clipe de “Malvada”, de Zé Felipe é o vídeo número 1 “Em Alta” no YouTube. Foto: Reprodução/YouTube

O que determina se um vídeo é classificado como “Em alta”?

Vários vídeos novos são enviados para o YouTube todos os dias, mas somente um número limitado deles pode aparecer na seção “Em alta”. O objetivo da plataforma é dar destaque para vídeos que:

  • Atraem uma grande variedade de espectadores;
  • Não sejam enganosos, sensacionalistas ou indutores de cliques;
  • Transmitam a amplitude do que acontece no YouTube e no mundo;
  • Mostrem diversos criadores de conteúdo;
  • Sejam surpreendentes ou novos.

A seção “Em alta” tenta equilibrar todas essas considerações. Para isso, vários sinais são levados em conta, incluindo:

  • O número de visualizações;
  • A velocidade com que o vídeo gera visualizações (ou seja, a “temperatura” dele);
  • A origem das visualizações (inclusive fora do YouTube);
  • Há quanto tempo o vídeo foi enviado;
  • O desempenho do vídeo comparado a outros envios recentes do mesmo canal.
Como funciona a seção dos vídeos "Em Alta" do YouTube?
O clipe de “CAFÉ DA MANHÃ ;P”, música de Luísa Sonza ft. Ludmilla atualmente está em 2º lugar no “Em Alta” do YouTube. Foto: Reprodução/YouTube

A plataforma combina esses indicadores para produzir uma lista de vídeos que mostre o que está acontecendo no YouTube, seja relevante para os espectadores e reflita o conteúdo da plataforma. Isso significa que o vídeo com a maior contagem de visualizações em um determinado dia pode não ser o primeiro colocado na seção “Em alta”. Além disso, os vídeos que têm mais visualizações podem aparecer abaixo dos que têm menos.

“Somos muito cuidadosos com o conteúdo que é exibido nessa seção. Por isso, temos filtros para garantir que não sejam listados vídeos com linguagem obscena excessiva, conteúdo para maiores/com violência ou vídeos inadequados que ofendam outros usuários da comunidade. Nos EUA e em outros países, temos equipes envolvidas na análise final para garantir a segurança e a adequação do conteúdo”, diz o YouTube.

O YouTube não aceita pagamento para incluir um vídeo na seção “Em alta”, nem favorece determinados criadores de conteúdo. Além disso, a plataforma não utiliza as visualizações de anúncios do YouTube como um fator para selecionar os vídeos da seção “Em alta”. Na maioria dos grandes setores, a plataforma garante que pelo menos metade dos vídeos na seção “Em alta” seja de criadores de conteúdo que priorizam a criação de vídeos para o YouTube.

Quer tirar mais dúvidas sobre o universo musical? Conheça agora mesmo o nosso Guia MM, que traz as explicações sobre os bastidores da indústria musical.

Siga as redes do POPline.Biz é Mundo da Música para saber mais sobre os principais assuntos do mercado da música: Instagram, LinkedInFacebook e Twitter.

Escrito por Láisa Naiane

Maíra Cardi diz que Jade Picon quer ser a 17ª traição de Arthur Aguiar

Harry Styles grava clipe nas ruas de Londres em cima de uma cama