in

Com “Nothing Breaks Like a Heart” em alta, por que o novo álbum do Mark Ronson é um dos mais aguardados de 2019

A estreia de “Nothing Breaks Like a Heart” não completou uma semana e o single de Mark Ronson já colhe os frutos. A música, uma colaboração com Miley Cyrus, chegou a liderar a lista dos mais vendidos globalmente do iTunes com entradas no Top 10 de mais de 20 países. No Spotify, a música continua em uma crescente no ranking mundial e acaba de estrear entre as mais ouvidas no Brasil.

A imprensa internacional acompanha de perto o desempenho da música – que marca também um “retorno” de Miley Cyrus em pausa (e praticamente sumida) desde o ano passado quando encerrou a era do álbum “Younger Now” e de uma participação com o The Flaming Lips – e o motivo do interesse é bastante lógico. “Nothing Breaks Like a Heart” é a primeira inédita solo de Ronson desde o álbum “Uptown Special”, lançado em janeiro de 2015. De lá para cá, Mark só deixou os bastidores, onde trabalhou em discos de Adele, Lady Gaga, Lily Allen, Queens of the Stone Age e recentemente Dua Lipa, justamente para lançar uma colaboração com Dua. “Electricity” é assinada também por Diplo, que ao lado de Mark, fundou o duo Silk City. É por isso que “Nothing Breaks Like a Heart” é tão especial: coloca o nome de Mark Ronson, sem parcerias de produção, de volta ao crédito principal.

Mark já disse que o sucessor de “Uptown Special” será “repleto de hits tristes”, mas sem “necessariamente soarem melodicamente deprimentes”. Em termos de composição, “Nothing Breaks Like a Heart” já é o oposto de “Uptown Funk!”, o maior hit da carreira de Mark Ronson. A música com Bruno Mars arrebatou as rádios e vendas em 2015 e abriu os trabalhos do “Uptown Special”, me perdoe pelo trocadilho, de forma especial.

Vale lembrar que novembro de 2014, quando “Uptown Funk!” foi lançada, o Spotify ainda se consolidava em muitos países, o TIDAL engatinhava e a Apple Music ainda era apenas uma loja online e mesmo não tendo a força do streaming como na atualidade, a música virou hit instantâneo. Foram 14 semanas consecutivas na parada de singles dos Estados Unidos desbancando Taylor Swift, sempre uma força de vendas nos Estados Unidos, 1 milhão de downloads legais em apenas um mês e no Reino Unido liderou a Official Charts por sete semanas. Ainda no UK, a música foi a mais vendida de 2015 se tornando o quinto maior single da história. No primeiro semestre daquele ano, a música foi a mais baixada dos Estados Unidos. E o clipe? Já foi visto mais de 3 bilhões de vezes.

Hit que é hit, vira cover. “Uptown Funk!” ganhou imediamente versões do Fifth Harmony, One Direction e Christina Aguilera ao vivo, do elenco de Glee, Alvin e os Esquilos, cantada diversas vezes por candidatos em reality shows de canto, por personagens da série “Family Guy” e até dançada na TV pela ex-primeira dama Michele Obama. “Uptown Special” e “Uptown Funk!” foram indicadas ao Grammy Awards do ano seguinte, levando dois prêmios das três indicações.

Com tantas conquistas, o sucessor do “Uptown Special” é certamente um dos discos mais aguardados de 2019. Além de Miley Cyrus, o novo disco de Mark Ronson terá ainda como convidadas Yebba, Lykke Li e King Princess. A data de lançamento não foi divulgada.

Escrito por Amanda Faia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Daniela Mercury anuncia Luísa Sonza como convidada especial do “Camarote da Rainha” em São Paulo

Zé Neto e Cristiano lideram o ranking de artistas mais ouvidos no Brasil em 2018 pelo Spotify; saiba mais!