Divulgando Casa Gucci, Lady Gaga fala sobre método de atuação
(Foto: Divulgação)
in ,

Divulgando Casa Gucci, Lady Gaga fala sobre método de atuação

“Com Patrizia, foi muito mais fácil para mim ficar no personagem o tempo todo”, explica Gaga.

Lady Gaga esteve no programa “The Late Show with Stephen Colbert” na noite de terça (23/11) e falou sobre seu método de atuação. A entrevista foi para promover o filme “Casa Gucci”, que estreia nesta semana nos cinemas.

“Acho que há uma ideia de que o método de atuação é louco, e que nós somos loucos. Mas acho que, para nós que estamos comprometidos com o método de interpretação, existe algo em nós que se conecta com a arte em um nível celular. Estamos profundamente enraizados nesta experiência envolvente. Eu sinto isso quando canto, quando faço música e quanto atuo. Quando canto jazz, eu considero um privilégio e uma honra me voltar para todos esses grandes musicistas do passado e trazer à luz essas músicas ótimas. Faço o mesmo quando trabalho com personagens”, disse a cantora e atriz.

Leia mais:

Lady Gaga adotou sotaque italiano em tempo integral

Ela já havia contado que, durante o processo de preparação e gravação de “Casa Gucci”, só falou com sotaque italiano. É porque sua personagem é italiana. Segundo Gaga, era mais fácil assim para ela.

“Com Patrizia, foi muito mais fácil para mim ficar no personagem o tempo todo, quando falava com minha mãe, com meu pai…”, disse, ressaltando que as pessoas levavam um susto quando ela atendia o telefone falando com sotaque.

Divulgando Casa Gucci, Lady Gaga fala sobre método de atuação
(Foto: Divulgação)

“Casa Gucci” conta a história de um crime real ocorrido na Itália em 1995. Maurizio Gucci, herdeiro da grife Gucci, foi assassinado a mando da ex-esposa Patrizia Reggiani. Ela passou 18 anos presa por conta do crime. No filme, os papéis são de Adam Driver e Lady Gaga.

Escrito por Leonardo Torres

Grammy sobre indicação de Marilyn Manson: “não vemos o passado das pessoas”

K-Pop: Sunmi e Jessi se unem a Ed Sheeran em remix de “Shivers”