Ruby. Foto: Instagram @eurubyoficial
in ,

Ruby conta suas referências e inspirações na música

Cantora de “UhLaLa” é a convidada do Storytelling POpline

Em mais um episódio do Storytelling POPline com a cantora Ruby, vamos conhecer um pouco mais das referências da mineira na música. E a menina tem bom gosto, viu? As inspirações da estrela vão desde Nina Simone a Michael Jackoson. Ah, tudo isso também a partir também da sonoridade da coleção de discos de seu pai. Vem conferir!

Foto: Igor Alarcon

LEIA MAIS:

Se hoje Ruby mostra toda sua versatilidade e atitude por entre seus lançamentos, tudo isso vem de uma junção de sons que ela cresceu ouvindo. Seja através das canções da música gospel, da black music, muito pela ajuda de seu pai, e as divas pop que a encantavam nos anos 2000.

“Mesmo a gente frequentando a igreja evangélica, que tem um nicho específico de musica gospel, meu pai sempre gostou muito de musica, de black music. Ele tem uma coleção de vinis maravilhosas dos anos 70, 80, 90. Desde Nina Simone a Michael Jackson”.

Ruby. Foto: Divulgação

Processo esse que se refletiu diretamente nas inspiração para sua sua nova música de trabalho, “UHLALA, já disponível nas plataformas digitais. Ao longo do quadro, que vai ao ar às sextas-feiras no Instagram do nosso Portal, a cantora conta sua trajetória pessoal e profissional.

Segundo ela, a música foi basicamente a sua porta de entrada para o mundo. É que Ruby começou a cantando na igreja, mostrando seu talento. E de lá para cá, ela foi se encontrando e descobrindo novos cainhos através das artes, reverberando em seu olhar sobre si. E essa mistura – maravilhosa de ritmos e gerações – foi o que formou Ruby musicalmente.

“Durante a minha infância, eu tinha vontade de escutar músicas diferentes que meu pai trazia e ouvia o que estava acontecendo naquele lugar com minha tia Denise. E na época estava bombando a MTV, nos anos 200, e eu tive acesso ao que estava acontecendo naquele momento”.

play, arrasta pro lado e confere tudinho! Desta vez, a artista mineira, fala sobre sua transição capilar, que foi muito mais do que um processo simples. Foi um grito de libertação. Processo esse que se refletiu diretamente nas inspiração para sua sua nova música de trabalho, “UHLALA, já disponível nas plataformas digitais. Confira a entrevista completa:

Escrito por Leonardo Rocha

Måneskin fará show em São Paulo além do Rock in Rio, afirma jornalista

Revelado visual do Lanterna Verde do Snydercut, cortado pela Warner