Foto: reprodução/@pocah
in ,

Pocah relembra relacionamento abusivo: “Achei que eu fosse morrer”

Pocah foi convidada a ocupar uma das poltronas do “Papo de Segunda” nesta segunda-feira (9), programa de debates do Gnt, comandado por Fábio Porchat e com João Vicente, Emicida e Francisco Bosco. A cantora conversou sobre diversos assuntos, mas emocionou os telespectadores ao relatar um relacionamento abusivo que viveu no passado.

A funkeira foi vítima de violência doméstica e sofreu diversos abusos de um ex-relacionamento, como compartilhou no programa.

“Eu vivi muitos anos com essa pessoa e eu comecei a namorar muito nova, aos 16 anos. Esse relacionamento ele é completamente conturbado, era infernal pra mim e para quem estivesse ao meu redor, pra minha família, para os meus amigos, era terrível. Eu via o quanto era tóxico e as pessoas falavam o quanto era tóxico. E eu tentava, de todas as formas, me livrar daquilo. As pessoas falam ‘mas porque que você aguentou tanto tempo?’, é porque quando você está num relacionamento tóxico não é só você falar ‘sai, hein, tchau. Valeu. Beijo’. Não é assim”, disse Pocah.

Pocah relembra relacionamento abusivo: "Achei que eu fosse morrer"
Foto: reprodução/ GNT

“Havia agressões físicas, verbais, psicológicas, manipulação e envolvia uma coisa que eu tenho muito, que eu prezo demais, que é o meu temor a Deus. Tenho uma relação com Deus muito grande, Deus é sagrado na minha vida e essa pessoa usava a minha fé”. Pocah relatou que, após descobrir traições, era vítima de agressões e impedida de deixar a relação. “Ele dizia que estava sendo usado pelo diabo, que não era ele, e que aquilo era o testemunho das nossas vidas”.

“Eu achei que eu fosse morrer”

Leia mais:

A cantora disse que só conseguiu sair da relação quando sua filha nasceu:

Pocah se emocionou ao relembrar como as pessoas reagiam ao presenciar as agressões que sofreu. Ela relembrou a decepção com o modo como a mãe de seu companheiro reagiu a uma das violências mais traumatizantes:

A artista recebeu o carinho de Emicida. “Quando uma pessoa do seu tamanho, com a sua força, com o seu talento, com o seu significado e mostra que esse silêncio não pode existir, que essa barreira precisa ser quebrada – você não quebra só as suas correntes, mas você quebra as correntes de muitas garotas, desse país inteiro…”, declarou o rapper.

 

Escrito por Douglas Françoza

Climão entre Fiuk e Tatá Werneck na gravação do Lady Night?

Tatá Werneck se pronuncia após polêmica sobre participação de Fiuk em seu programa

Billie Eilish arrasa em primeira performance de "Happier Than Ever"

Billie Eilish arrasa em primeira performance de “Happier Than Ever”