Selos: importância e palco para artistas independentes
João Magalhães (centro), Sócio e Diretor do Selo Olga Music e Clara Valverde, cantora, compositora e responsável pelo Selo Baila Records. Foto; Divulgação
in

Selos: importância e palco para artistas independentes

João Magalhães da Olga Music e Clara Valverde, artista e empreendora no Selo Baila Records, falam sobre o diferencial dos selos para artistas independentes

Inicialmente conhecido como “um braço segmentado de uma gravadora”, os Selos ganharam um protagonismo ainda maior nos últimos anos a partir da flexibilidade de negócios dentro da indústria musical. Além de estarem dentro de gravadoras, os Selos podem atuar de forma independente e estarem vinculados com agregadoras, o quê os permitem incorporar todas as funções, do lançamento musical à gestão.

Quais as funções de um Selo Musical?

Contudo, as atividades de um Selo podem variar a partir de cada contrato estabelecido. Há empresas que fornecem uma gestão 360, atuando em áreas como Marketing, Gestão e alguns também são Editoras. Entretanto, os “artistas independentes” – que se pensarmos bem são os que mais precisam de uma equipe – encontram nos selos a possibilidade de desenvolverem suas trajetórias.

Analisando a importância dos Selos para artistas que fazem a autogestão das suas carreiras, o POPline.Biz é Mundo da Música conversou com João Magalhães, Sócio e Diretor da Olga Music e Clara Valverde, cantora, compositora e empreendedora responsável pelo Selo Baila Records que analisaram o cenário e a relação entre Selos e artistas.

O Selo é hoje o melhor parceiro para artistas novos e independentes. É quem tem o tempo à disposição para trabalhar com calma cada lançamento, pensar junto, entender o potencial e o objetivo de cada artista”, ressalta Magalhães da Olga Music que possui em seu casting artistas como Supercombo e Romero Ferro.

Para Clara Valverde, os Selos entram em cena quando artistas independentes buscam aliados para melhores resultados.

“Enxergo muito os selos como uma soma de forças e conhecedores de bons atalhos para que as carreiras independentes comecem a ter resultados mais significantes e mais rápidos. É muito importante que artistas escolham trabalhar com selos que tenham valores parecidos com os seus, onde se sinta respeitado e seguro para fazer seus lançamentos”, pontua Valverde da Baila Records, que possui 15 artistas assinados e cerca de 60 fonogramas lançados.

Selos: importância e palco para artistas independentes
Clara Valverde, cantora, compositora e responsável pelo Selo Baila Records. Foto: Divulgação

Leia Mais:

Dentro do cenário de autogestão, onde por vezes, as verbas são curtas, Magalhães e Valverde analisam que o entendimento de mercado e o networking dos Selos são diferenciais na construção da carreira de um artista.

“O Selo traz uma experiência no segmento que o artista vai trabalhar, então acho que a soma entre: a experiência do selo, o entendimento do mercado, juntamente com o artista é a fórmula que tem mais chance de dar certo na construção de uma carreira”, aponta Magalhães.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Olga Music (@aolgamusic)

Clara Valverde, que também é artista, observa a importância da assertividade principalmente quando há pouca verba financeira e o que Selo geralmente possui parcerias que facilitam nesse processo, como: Assessoria de Imprensa, Produtores, Video Makers, entre outros profissionais. A artista que já ultrapassa 32 milhões de streams apenas no Spotify, criou esse projeto da Baila Records a partir da soma entre: a sua vontade de dividir com outros artistas as estratégias e atalhos que aprendeu com sua carreira, à falta que sentia de ver outras mulheres brilhando nos negócios da música.

“No meu selo (Baila Records), isso é uma grande preocupação dentro dos projetos dos nossos artistas, como também sou artista, sei que no começo das carreiras acabamos fazendo investimentos pouco práticos e sem experiência alguma. Ter um selo para guiar e orientar nesse momento já faz grande diferença e acaba esticando o valor que o artista tem para investir. É importante ser assertivo quando a verba é curta”, destaca Valverde.

O entendimento da função dos Selos pelos artistas também é fundamental e muitos nomes da área têm optado por esse modelo de parceria. O cantor e compositor Romero Ferro assinou com o Selo Olga Music e promete uma nova fase de novos lançamentos musicais e estratégias, que iniciou a partir do single “Chega Perto” lançado com a cantora Doralyce na última sexta-feira (3). Questionado sobre o papel dos Selos na indústria e na sua carreira, Romero diz que a importância do Selo acompanha o processo de democratização do mercado, como fruto do crescimento da popularização do digital.

Os selos tomam força nesse momento, pois são universos menores e mais acessíveis, e dão mais liberdade ao artista. Ao mesmo tempo que ele agrega em frentes que o artista independente sozinho, não consegue dar conta. Quem tá de fora e vê tudo pronto, não faz ideia o corre que é pra lançar um single, clipe, álbum… o selo dá suporte nisso, somando sua equipe com a do artista”, reflete Romero.

Selos: importância e palco para artistas independentes
Romero Ferro (artista Olga Music) e Doralyce no lançamento do single “Chega Perto”. Foto: Moa Almeida/Divulgação

Novas possibilidades no mercado musical

As majors fazem parte do imaginário sobre o significado de “Sucesso” para grande parte dos artistas. Questionamos aos Selos Olga Music e Baila Records como eles acreditam que a mudança da indústria musical e o papel de um Selo na atualidade estão ajudando a reescrever esse aspecto.

“O sucesso para o artista sempre foi estar na gravadora, tocar na rádio, na TV e isso mudou muito!  O sucesso pode ser alcançado de uma forma independente, junto com os Selos, com estratégias definidas pelo próprio artista”, analisa Magalhães.

“Acho que hoje em dia, um artista com uma carreira independente bem construída só pensa em assinar com uma gravadora, quando a proposta é realmente muito impressionante e vai mudar completamente o jogo em termos de investimento. Diferente de até pouco tempo, onde era impensável ter uma carreira bem sucedida sem fazer parte de uma gravadora, hoje com a internet e com o trabalho dos selos a história é outra”, observa Valverde.

Os Selos Olga Music e Baila Records atuam em parceria com agregadoras musicais em seus lançamentos. A Olga Music possui parceria com a ADA da Warner Music. Enquanto que a Baila Records, possui parceria com a Ingrooves Brazil.

Escrito por Láisa Naiane

Site elege as melhores e piores músicas de Miley Cyrus

BTS entra para o Hall da Fama do Guinness World Records.

BTS ganha box comemorativo com capas exclusivas da Billboard