Foto: divulgação
Foto: divulgação
in ,

Em 1985, Renato Russo escrevia uma canção inspirada em Cazuza

“Feedback Song For A Dying Friend” foi escrita em 1985, mas saiu no disco “As Quatro Estações”, de 1989

Ao longo de sua aclamada discografia, a Legião Urbana já falou sobre diversos temas que vão de amor até política. Na música “Feedback Song For A Dying Friend”, que Renato Russo escreveu ainda em 1985, mas que saiu em 1989 no disco “As Quatro Estações”, a inspiração veio de vários lugares.

Foto: site (legiaourbana.com.br)
Foto: site (legiaourbana.com.br)

O assunto foi comentado no canal do YouTube de Júllio Ettore. Segundo ele, a canção “Feedback Song For A Dying Friend” teve participação direta do dramaturgo e humorista Millôr Fernandes.

Leia mais:

“O título pode ser traduzido como ‘Canção resposta para um amigo que está à beira da morte’. Essa letra foi feita pelo Renato Russo e traduzida pelo Millôr Fernandes. O Renato sempre sonhou em ter um texto traduzido pelo Millôr. Quando o Millôr foi contatado, aceitou, porque também gostava da Legião Urbana.

Em outro trecho do vídeo, Júlio Ettore diz que a música teria outro título quando foi escrita e entre as inspirações para a letra está o fotógrafo americano Robert Mapplethorpe – figura central no combate a AIDS nos EUA – e, claro, Cazuza, que também lutou com a doença.

Essa música ia se chamar ‘Rapazes Católicos’ e ia narrar episódios de confronto sobre muçulmanos e árabes. A banda achou que não poderia pegar bem, então o produtor pediu para mudar o tema. Foi aí que Renato Russo sacou da gaveta essa letra, que foi escrita ainda em 1985. Outra inspiração para essa música é o fotógrafo americano Robert Mapplethorpe, conhecido por seu trabalho com casais homossexuais. Ele foi uma vítima da AIDS e morreu em 1989. O mundo debatia muito nessa época sobre isso. Quando foi gravar a música em 1989, Renato Russo viu que ao invés de focar na história do Robert, essa música poderia ser dedicada a Cazuza. Ele contou isso em uma entrevista e disse que o que escreveu poderia ter sido para o Cazuza, principalmente porque ele fala ‘Ao meu único rival, eu devo obedecer’ e ‘Vai comandar nosso duplo renascer’, concluiu.

O dia em que Paulo Moska comparou o sucesso “Pais e Filhos” com “Uma Barata Chamada Kafka”, do Inimigos do Rei

No final dos anos 1980 e início dos anos 1990, estava ocorrendo uma transição no rock nacional, em um cenário composto por bandas antigas, como a Legião Urbana, e novas, como os Inimigos do Rei. Foi aí que Paulinho Moska, vocalista dos Inimigos, resolveu alfinetar Renato Russo e dizer que “Pais e Filhos” – grande sucesso da Legião – não merecia todo esse reconhecimento.

Em uma entrevista datada do início dos anos 1990 e transcrita pelo canal do Júlio Ettore, Paulinho Moska comentou sobre uma ocasião em que ele comparou a música da Legião Urbana com o sucesso de sua banda “Uma Barata Chamada Kafka” e disse que as duas estariam no mesmo nível.

‘Pais e Filhos’ não diz nada a mais do que já foi dito e não vai mudar a vida das pessoas. Hoje em dia ninguém vai mudar nada com o que diz, essa coisa ridícula de achar que a letra de música tem de ter uma bandeira. O Renato é um cara deprimido, com problemas. Quando comparei as duas músicas, não estava levantando a bola da ‘Barata’, e sim baixando a bola de ‘Pais e Filhos’, comentou.

A banda Inimigos do Rei teve como maior sucesso o registro homônimo, lançado em 1989. Além da música “Uma Barata Chamada Kafka”, outros sucessos foram “Adelaide” e “Mamãe Viajandona”.

Ouça as duas músicas no player abaixo:

Escrito por Magda Pinheiro

Twitter inicia a implementação do botão 'Editar'; veja como deve ser

Twitter inicia a implementação do botão ‘Editar’; veja como deve ser

POPline Charts by STRM: Linn da Quebrada assume primeiro lugar do Top 30 Brasil