Lana Del Rey é aclamada pela mídia especializada pelo novo álbum "Blue Banisters"
Foto: Divulgação
in ,

Lana Del Rey é aclamada pela mídia especializada pelo novo álbum “Blue Banisters”

“Os vocais de Del Rey estão tão angelicais e distantes como sempre, presos em um devaneio”, escreveu publicação.

Nesta sexta-feira (022) saiu o “Blue Banisters“, oitavo álbum da carreira de Lana Del Rey e o segundo lançado em 2021. O “Chemtrails over the Country Club” saiu em março. Talvez ela tenha sido apressada demais? Parece que não, já que não deu sinais de desgastes e está sendo muito elogiado pela mídia especializada.

Lana Del Rey é aclamada pela mídia especializada pelo novo álbum "Blue Banisters"
(Foot: Divulgação)

Leia Mais:

No site Metacritic, que faz uma média das notas recebidas pelos críticos, por enquanto a nota é 78, ficando acima de outros álbuns da cantora. Os discos “Born to Die“, ” Ultraviolence” e “Lust for Life” ganharam notas menores.

Veja o que a mídia está falando!

Exclaim

Embora triste, há muita esperança neste álbum, tantas tentativas de encontrar a beleza nas relações orgânicas com suas irmãs e objetos do cotidiano, no fato de se sentir e na capacidade de amar. Cada faixa está repleta de uma espécie de amor que, embora cansado, ainda é terno, como que se alegrando com o fato de existir. Em “Beautiful”, ela diz, “posso transformar a tristeza em algo lindo, lindo, lindo como você”. Embora ainda cansada do mundo como sempre, Del Rey é, em ‘Blue Banisters’, pela primeira é cotidiano para determinada finalidade. Este álbum é impressionante.

NME

‘Blue Banisters’ nos lembra que, além de sair das redes sociais e reações adversas da imprensa, Del Rey continua tão boa como sempre foi. Com sua atenção firme em seus “esforços pessoais” ao invés do barulho ao seu redor, talvez seu próximo álbum seja ainda melhor.

Slant Magazine

Os vocais de Del Rey estão tão angelicais e distantes como sempre, presos em um devaneio. Ela está empolgada em “Dealer”, forçando-se à beira das lágrimas e registrando-se em seu ápice. Em “Wildflower Wildfire”, ela acelera uma força cada vez maior da melodia. […] Mas, ao retirar a densidade sônica de seu trabalho anterior e tomando seu doce tempo para se descobrir, ‘Blue Banisters’ dá mais brilho ao mundo pessoal cada vez mais vívido de Del Rey.

Pitchfork

O segundo álbum do ano de Lana Del Rey é uma pesquisa abrangente de seu talento como compositora, despojada das fronteiras estéticas que ela costuma colocar em torno de seu trabalho.[…] É uma abordagem que a alinha com os legados dos artistas dos quais ela sempre se inspirou – Neil Young e Bruce Springsteen, artesãos constantemente vasculhando os arquivos para recontextualizar sua mitologia. Mas também há precedentes pop. Se Lana fosse menos obsessiva com seu trabalho, ela poderia ter sequenciado as canções mais recentes em uma edição de luxo do Chemtrails; se ela fosse mais experiente, poderia tê-las lançado como uma ponte interligado para encerrar o ano.

Escrito por Caian Nunes

Sem popularidade nas redes, Lary reage à rejeição de “A Fazenda”

De novo! Gui Araújo distorce discurso de Galisteu na roça