Foto: Getty Images / Jeff Kravitz
in ,

Katy Perry se inspirou em Taylor Swift ao planejar documentário mais íntimo sobre sua vida

Entenda.

Katy Perry já confirmou que gravou imagens da “Witness Tour”, que aconteceu entre os anos de 2017 e 2018. A ideia inicial era lançar um registro audiovisual, mas os planos mudaram. Agora, essas imagens serão retratadas para relatar a mesma época em que sofreu de depressão e mostrar como superou.

Para Katy, a inspiração foi Taylor Swift, que mostrou sua intimidade no documentário “Miss Americana“. Foi ao que ela revelou ao jornal Daily Star.

Katy Perry lançará documentário íntimo
Foto: Ethan Miller/Getty Images

“No início, pensei em lançar algo, mas com o passar do tempo a história fica mais interessante. Digo isso porque acho que o momento de ‘Witness’ na minha vida é apenas um capítulo de um livro muito grande que ainda não foi concluído”, explicou.

Passando por um momento novo, com sua filha Daisy Dove Bloom recém-nascida, a cantora acredita que ainda há muito para mostrar e irá esperar pelo momento certo. “Estamos realmente com cinco capítulos e talvez sejam oito capítulos, nove capítulos, dez capítulos e eu tenho um material incrível – estou sempre documentando coisas“, falou.

Sobre sua inspiração, Katy Perry não nega que Taylor Swift fez com que ela mudasse de ideia. “O que realmente me impressionou foi o documentário de Taylor. Durante todo esse tempo, ela apenas documentou intensas quantidades de filmagens e isso não foi durante uma turnê ou um ciclo de gravação”, apontou.

Superação

O recente álbum, “Smile“, retrata uma fase obscura da vida da Katy Perry, incluindo sua superação. “Comecei a escrever essas músicas quando estava no meu estado mais sombrio. Eu estava clinicamente deprimida, não estava nem tendo surtos de depressão, era como se eu não pudesse sair da cama… Acho que foi um combinação de um monte de coisas. Em 2017, minha carreira não atendeu às minhas expectativas pessoais, as coisas começaram a mudar, e eu tinha rompido com Orlando, foram muitas coisas” explicou.

A narrativa do palhaço que faz os outros rirem mas perdeu o seu próprio sorriso e precisa encontrá-lo novamente pode até parecer clichê, mas é uma metáfora perfeita para a história contada no “Smile”. E essa história é bem clara já na disposição da ordem das músicas.

Na primeira parte, ela aparece mais triste. Depois, vai se fortalecendo. Finalmente, aparece feliz.

Escrito por Caian Nunes

Historiadora que criticou Beyoncé por “glamorizar negritude” e pediu desculpas volta a falar sobre o assunto

Whindersson Nunes anuncia álbum de estreia como cantor de trap usando alterego. Foto: Instagram

Whindersson Nunes anuncia álbum de estreia como cantor de trap usando alterego