Foto: Divulgação
in

Jornalista baiano lança livro sobre a trajetória de Daniela Mercury e do axé music no Brasil

“O canto da cidade: da matriz afro-baiana à axé music de Daniela Mercury”, escrito por Luciano Matos, está disponível no formato e-book das Edições Sesc SP

O livro “O canto da cidade: da matriz afro-baiana à axé music de Daniela Mercury, escrito pelo jornalista baiano Luciano Matos, narra a trajetória da cantora, do álbum e do ritmo musical que ganhou o Brasil após um show em 1992 que parou a principal avenida da capital paulista. A obra já está disponível no formato e-book das Edições Sesc SP.

Foto: Divulgação

Para traçar a linha do tempo dessa história, o quarto livro da coleção Discos da Música Brasileira, conta com relatos de diversos artistas e compositores, como Letieres Leite, Carlinhos Brown, Margareth Menezes, Liminha, Vovô do Ilê, Márcia Castro e Márcia Short.

Leia mais:

O ponto de partida da obra é o show de Daniela Mercury realizado em São Paulo, no vão do Masp, em junho de 1992, que parou a Avenida Paulista em pleno meio-dia e precisou ser interrompido por conta da enorme concentração de pessoas e da forte vibração sonora que poderia abalar a estrutura do museu. A apresentação durou apenas 40 minutos, mas foi suficiente para desbancar Daniela Mercury e ajudar na consolidação da chamada axé music.

“A enorme visibilidade alcançada por Daniela serviu para escancarar de vez o que já era realidade na Bahia. A música pop baiana, que ganhou o apelido de axé music, virava uma realidade nacional sem que os artistas precisassem sair de lá, como antes acontecera com quase toda a música surgida fora de Rio de Janeiro e São Paulo”, afirma Matos

O livro não se limita a contar apenas as partes boas de “O Canto da Cidade” e toca também em pontos obscuros, mas reconhece o disco como o grande divisor de águas para Daniela e o axé music Brasil afora.

Ela [Daniela Mercury] faria na sequência outros álbuns consistentes e de expressiva repercussão popular, como ‘Música de rua (1994)’, ‘Feijão com arroz (1996)’, ‘Sol da liberdade (2000)’ e ‘Carnaval eletrônico (2004)’, mas ‘O canto da cidade (1992)’ é a mola propulsora de seu sucesso e de todo um cenário que se elevou a partir dali”, afirmou o crítico e jornalista Lauro Lisboa Garcia no prefácio do livro.

No livro, o autor também revive os blocos afro, que foram absorvido por essa cena musical que surgia e reconta a trajetória de seus maiores representantes na capital baiana, como Ilê Aiyê, Olodum, Malê Debalê, Muzenza e Ara Ketu. Além disso, ele volta à origem da batida de Neguinho do Samba, Mestre Jackson e Ramiro Musotto que somou aos timbaus e repiques da levada do reggae uma poderosa batida grave de surdos, dando vez ao samba-reggae.

Ficha Técnica:

O canto da cidade: da matriz afro-baiana à axé music de Daniela Mercury

Autor: Luciano Matos

Edições Sesc São Paulo,

2021
Coleção Discos da Música Brasileira

Número de páginas: 292

ISBN: 978-65-86111-63-7 (e-book)

Preço de capa: R$ 15

Escrito por Luíza Tozzato

Liam Payne veio nesta sexta ao Brasil, mas já foi embora

Liam Payne veio nesta sexta ao Brasil, mas já foi embora

Veja capa e teaser de "Number One", parceria de Pabllo Vittar e Rennan da Penha

Veja capa e teaser de “Number One”, parceria de Pabllo Vittar e Rennan da Penha