Polêmica do Iogurte
Foto: Reprodução / Internet
in ,

Jameela Jamil defende Demi Lovato após polêmica do frozen yogurt

“Isso não a torna um monstro”, afirmou a atriz.

Nas últimas horas Demi Lovato ficou no olho do furacão. Tudo começou quando ela usou suas redes sociais para criticar uma loja que vende frozen yogurt. Ela ficou muito incomodada quando foi comprar o doce e teve que se deparar com uma série de opções sem açúcar, denominadas como “livre de culpa”. Ela viu nisso um gatilho em seus problemas de desordem alimentar e desabafou nas redes sociais.

Demi Lovato não faz dieta
Foto: ANGELO KRITIKOS

Depois disso, ela foi alvo de muitas críticas. Teve gente que achou injusto que Demi Lovato tinha se voltado compra a uma loja relativamente pequena, com cerca de 5.000 seguidores no Instagram. Ela poderia arruinar um negócio local em tempos de crise. Além disso, muitos apontaram que esses produtos sem açúcar são essenciais para diabéticos e doença celíaca. A própria loja respondeu falando isso.

Demi Lovato teve desefa

Apesar de tantas críticas, fazendo com que a cantora pedisse desculpas, teve gente que entendeu o lado de Demi Lovato. Foi o caso da atriz, modelo e apresentadora Jameela Jamil. Ela escreveu um textão nas redes sociais defendendo o caso. Leia:

Ok, eu quero tentar evitar que a história fique mais complicada do que já é. Mas se uma defensora da ordem alimentar disser que vê produtos que são reposicionados como livres de culpa, e isso é potencialmente complicado, isso não significa que ela é estúpida demais para se lembrar da existência de diabéticos. Significa apenas que precisamos mudar a comercialização de produtos que atendem às necessidades médicas das pessoas“, explicou.

Ela continua: “Isso é tudo que Demi Lovato estava pedindo. Isso não a torna um monstro. Isso não significa que ela esteja se importando com as doenças das pessoas. Ela é apenas uma das novas celebridades que nos lembra de cuidar de doenças mentais“.

Jameela explicou um pouco da problemática dessa “cultura da dieta”.

Livre de culpa é terminologia da cultura da dieta. Precisamos parar de usar essa porra logo. Temos tanta sorte de ter comida. O que há de tão errado para se sentir culpado?! Esse é um termo de vergonha. A ortorexia é fácil de entrar e é um pesadelo do c*****o para sair correndo. Eu acho que é bom continuar levantando cautela sobre esse assunto até que a retórica dos transtornos alimentares esteja fora de nossa tendência normalizada. Dizemos palavras assim o tempo todo. Lecionar alimentos por virtude ou pecado. Trapaça, culpado, arrogante, mau, doentio … etc. tudo problemático“, escreveu.

A artista não concorda que as pessoas tenham se juntado para tirar sarro da situação. Enquanto isso, assunto importantes ficaram em segundo plano,

Mas o que mais me deixou curiosa é ver as pessoas correrem para interpretar sua má intenção e postura deliberadamente, e enquadrá-la como ignorante e descuidada, e inerentemente má. Montes de zombarias com pessoas que estão constantemente tentando ajudar… São problemáticas de maneiras que não consideramos. Você não está apenas desencorajando a pessoa em questão de se tornar vulnerável a fim de ajudar os outros, você está desencorajando futuras pessoas de fazer o mesmo. De se arriscar em sua busca por tentar ajudar os outros. A menos que você também esteja constantemente tentando ajudar e defender outras pessoas, não acho que seja uma grande jogada de caráter criticar aqueles que o fazem. A sua crítica é construtiva? Ou você está apenas fazendo palhaçada com alguém? Qual é o seu objetivo real? Se algo já foi dito por 1.000.000 de pessoas… Você precisa dizer também?“, questionou.

O que você fez para ajudar outras pessoas hoje? Você usou seu tempo e energia para desconstruir a cultura alimentar? Ou qualquer outra forma de opressão? Fazemos isso quase que exclusivamente com mulheres que tentam ajudar outras pessoas. Contribuímos para o silêncio e o silenciamento de todas as mulheres quando fazemos isso tão duro (pessoas zombando dela foram o tópico de tendência número 1 no Twitter o dia todo… ao invés de legisladores falando dos direitos trans, saúde … Ao invés de falar sobre leis de armas…) Por favor, pense no quadro geral. É absolutamente importante exigir responsabilidade daqueles que cometem erros, mas o que vejo online não é isso. É apenas zombaria e crueldade, e caluniar a personagem de uma mulher que está navegando em um território desconhecido de ser super famosa, super jovem, super aberta, super honesta e vulnerável e super frágil e forte ao mesmo tempo“, completa.

Ela também mostrou prints de diabéticos que mostras que médicos não recomentam alimentos “livres de açúcar”. Portanto, essa não é uma desculpa.

Escrito por Caian Nunes

Nova campanha da Abramus leva ajuda a profissionais da cultura

Pai de Gilberto quer reencontrar o filho após 15 anos