Elizabeth Olsen Foto: Getty Images
in ,

Elizabeth Olsen comenta processo “Scarlett Johansson VS Disney”

A atriz de WandaVision elogiou a companheira de MCU e temeu o futuro dos pequenos filmes

Após Scarlett Johansson entrar na justiça contra a Disney, era questão de tempo até outros personagens de MCU (Universo Cinematográfico Marvel) serem questionados sobre o assunto. A primeira foi Elizabeth Olsen, a intérprete de WandaVision, em conversa com Jason Sudeikis (Ted Lasso), publicada pela Vanity Fair. Segundo ela, o resultado do caso não a preocupa, mas como a companheira de trabalho está lidando com a situação a admira:

Eu acho a Scarlett tão durona e quando vi a história pensei ‘bom pra você, Scarlett’”.

Além das questões “estúdios X artistas”, a atriz está receosa se todos os filmes terão a oportunidade de chegar ao cinema, mesmo aqueles que não receberam premiações ou foram aclamados pela crítica, conforme relatou:

“Mas estou preocupada com a possibilidade de pequenos filmes terem a oportunidade de serem vistos nos cinemas. Isso já era uma coisa pré-COVID. Gosto de ir ao cinema e não quero necessariamente ver apenas um candidato ao Oscar ou um blockbuster. Eu gostaria de ver filmes de arte e teatros de arte. E então eu me preocupo com isso, e com as pessoas tendo que manter esses cinemas vivos. E não sei como isso funciona financeiramente para esses cinemas.”, explicou Elizabeth.

Wandavision Foto: Disney+

Entenda o caso

A atriz entrou na justiça contra o lançamento do filme “Viúva Negra nos cinemas e no streaming Disney+ e agora seu advogado acusa o estúdio de ter reagido de forma misógina à abertura do processo.

Scarlett Johansson alega que a decisão de lançar “Viúva Negra” no streaming consiste em uma quebra de contrato, considerando que o documento falava em lançamento exclusivo nos cinemas — o que interfere diretamente em seu salário que estava baseado em grande parte na performance da bilheteria do filme.

Filme “Viúva Negra” Foto: Film Frame/Marvel Studios/

A Disney, por sua vez, pediu por uma reunião para que as partes chegassem a um acordo sigiloso. No entanto, para John Berlinski, representante de Scarlett Johansson, isso não passa de uma tentativa de “esconder a má conduta em uma arbitragem confidencial”.

”Após responder inicialmente a este litígio com um ataque misógino contra Scarlett Johansson, a Disney está agora, previsivelmente, tentando esconder sua má conduta em uma arbitragem confidencial. Por que a Disney está com tanto medo de resolver esse processo publicamente? Porque eles sabem que [o Marvel Studios] prometeu lançar ‘Viúva Negra‘ de maneira tradicional ‘como seus outros filmes’ estava diretamente relacionada à garantia de que a Disney não canibalizaria a arrecadação nas bilheterias para impulsionar assinaturas do Disney+”, afirmou o advogado, conforme noticiado pelo site Deadline.

Assim como “Cruella” e “Jungle Cruise, “Viúva Negra” foi um dos títulos que a Disney decidiu lançar também no streaming pelo valor adicional de R$70 (US$30, nos EUA) em razão da pandemia da Covid-19.

O lançamento no streaming, de acordo com relatórios da defesa de Scarlett Johansson, pode resultar em um prejuízo de US$ 50 milhões (o equivalente a R$ 253 milhões) para a atriz. Isso porque “Viúva Negra” arrecadou nas bilheterias do mundo todo cerca de US$ 185 milhões (R$ 800 milhões de reais) e US$ 60 milhões (R$ 304 milhões) no Disney+.

Escrito por Luíza Tozzato

Sérgio Reis após polêmica com o STF: “Eu sou democrático, sou do bem”

Negra Li reflete sobre o divórcio, carreira e representatividade