Foto: reprodução/@oliviarodrigo Instagram
in ,

Com ‘Deja Vu’, Olivia Rodrigo tem conquista inédita na Billboard Hot 100

O sucesso repentino e estrondoso de Olivia Rodrigo incomodou. Apostas mais amargas em fóruns e conversas sobre música pop chegaram a classificar a intérprete e compositora do megahit ‘drivers license‘ como uma “One-Hit-Wonder“, quando um artista da música só consegue emplacar uma canção, um hit. Com a recente atualização de Billboard Hot 100, ela provou o contrário e colocou seu novo single “Deja Vu” no oitavo lugar do ranking.

Diante de tamanho sucesso, ela conquistou um marco histórico na parada norte-americana. Rodrigo é a primeira artista a estrear seus dois primeiros singles no Top10 do cobiçado chart estadunidense. Embora seja até normal que fenômenos do pop façam sucesso com suas primeiras apostas (como aconteceu com Lady Gaga e Katy Perry, por exemplo), é raro que essas escolhas estreiem com tantos louros.

“Deja Vu” registrou 20,3 milhões de streams, 7,4 mil downloads vendidos e 9,3 milhões de impressões nas rádios. A música está confirmada no álbum de estreia da cantora, marcado para 11 de maio.

Inspirações para ‘Deja Vu’

Depois de muita especulação sobre a letra da faixa, apontada por muitos como uma nova indireta para seu antigo relacionamento com Joshua Bassett, a artista, de 18 anos, revelou de uma vez por todas a verdadeira inspiração para o hit.

Em entrevista à revista “Rolling Stone”, Olivia disse que “Deja Vu” foi inspirada na canção “Cruel Summer“, de Taylor Swift, de quem já declarou inúmeras vezes ser fã incondicional. “Eu amo ‘Cruel Summer’, uma das minhas músicas favoritas. Os vocais principais, os gritos harmonizados que ela faz… eles são super elétricos e comoventes. Eu queria fazer algo assim”, destacou.

Olivia Rodrigo. Foto: Instagram

Ela explicou que o seu celular funciona como uma especie de diário, onde anota pensamentos e poemas que eventualmente cria durante o dia. Rodrigo e Dan Nigro, seu produtor, escreveram a música juntos no final de agosto do ano passado, não muito depois de “Drivers License”. “No bloco de notas do meu telefone, tenho todos esses poemas e pequenos conceitos de canções. Uma das pequenas linhas de gancho que eu disse foi ‘Quando ela estava com você, você teve déjà vu?’”

Mesmo trazendo a temática de fim de relacionamentos à tona, ela garante que não deseja se tornar uma cantora de músicas sobre corações partidos. “Nós não queríamos fazer a coisa certa e lançar outra balada de decepção. Queríamos muito mostrar que sou uma compositora versátil e uma artista versátil. Eu posso fazer canções de partir o coração, mas também posso fazer canções pop alternativas legais. Eu não queria ser classificada na coisa de ‘garota balada de coração partido”.

 

 

Escrito por Douglas Françoza

Quem é Guga Nandes, aposta do Youtube para 2021 no pagode?

Mesmo sem clipe, parceria de Demi Lovato e Ariana Grande debuta no Hot 100 da Billboard