Divulgação/Logo Believe
in

Believe gera mais de R$ 847 milhões em receita no 1º trimestre de 2022

A agragadora teve um aumento de 30,9% no comparativo a 2021

A Believe publicou seus resultados financeiros para o primeiro trimestre de 2022. Em todo o negócio da Believe, a empresa gerou receitas de € 162,5 milhões (aproximadamente R$ 847 milhões) no primeiro trimestre, um aumento de 30,9% no comparativo anual. A agragadora também informou que suas receitas digitais aumentaram 35,3% no primeiro trimestre.

Leia mais:

A empresa diz que este crescimento reflete “uma dinâmica de mercado positiva em todos os aspectos, como resultado de tendências de mercado favoráveis, bem como um investimento forte e lucrativo em equipes locais, principalmente na Ásia e na Europa”.

“Começamos o ano em um trimestre forte e demonstramos ainda mais a atratividade do nosso modelo e a força do nosso foco em atos locais. A situação mundial atual amenizou nosso ritmo de crescimento no primeiro trimestre, mas o impacto foi mínimo. Prevemos que as repercussões serão mais importantes a partir do segundo trimestre”, revela Denis Ladegaillerie, fundador e CEO da Believe.

E completa: “No entanto, continuaremos crescendo lucrativamente. A resiliência do nosso modelo nos permitirá permanecer em uma trajetória sólida e nossos investimentos na plataforma central e nas equipes locais nos permitirão alavancar o crescimento e a transformação de longo prazo do mercado de música digital”.

Denis Ladegaillerie, fundador e CEO da Believe | Foto: Divulgação

De acordo com o Music Business Worldwide, a Believe diz que o crescimento de sua receita na região da APAC se deve à dinâmica do mercado que “se manteve forte nas várias regiões e o crescimento foi particularmente forte na China, Índia e Filipinas”. E completa: “O Grupo consolidou ainda mais sua posição de mercado na Ásia graças ao investimento significativo em equipes locais e ao fortalecimento da oferta de serviços premium.

As receitas orgânicas também foram aumentadas pelos acordos com Think Music e VMAG, que fizeram parte das transações assinadas com a Believe no quarto trimestre de 2021.

Ainda de acordo com a publicação, no ano passado, a Believe anunciou a intenção de gastar 100 milhões de euros por ano na aquisição de empresas de música em vários territórios de rápido crescimento em todo o mundo, com esta estratégia resultando na aquisição de participações em gravadoras nas Filipinas e na Índia , entre outros mercados.

A França representou 17,5% das receitas globais da Believe, já em outros lugares, como as Américas, cresceram 28,7% A/A para € 23,5 milhões e representaram 14,4% da receita total da empresa.

A Believe relata que este crescimento é resultado do “forte nível de atividade na América Latina, principalmente na Argentina e no Brasil, graças ao sólido investimento em vendas e marketing locais e ao sólido crescimento nos Estados Unidos, refletindo o desempenho da TuneCore”.

Escrito por Rafa Ventura

Ivy discute com Fernando por Bianca: “Não fala da minha amiga”

Harry Styles é o músico com menos de 30 anos mais rico do Reino Unido