Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal
in

Umberto Tavares: o legado do produtor musical visionário (Parte 2)

Sócio-Fundador da U.M Music revela sua visão de mercado, produções musicais e projetos especiais como “Felicidade Black”

Com o olhar de especialista e tendo acompanhado as principais mudanças do mercado musical brasileiro dos últimos anos, Umberto Tavares revela detalhes do trabalho dos bastidores da música, deixando claro o quão trabalhoso é o processo até uma música ser executada nas plataformas de streaming, rádios ou shows.

Responsável por inúmeros sucessos, seja como Compositor ou Produtor Musical em diversos gêneros musicais, Umberto Tavares é Sócio-Fundador da U.M Music e um dos principais nomes do setor, ajudando a traduzir a cultura brasileira em música popular. Possui trabalhos com nomes como Anitta, Ludmilla, Luan Santana, Sandy, entre outros.

O POPline.Biz é Mundo da Música conversou com o profissional que contou detalhes da sua trajetória visionária que possui mais de 20 anos, confira a Parte 2 desse incrível legado abaixo que consiste em importantes aspectos sobre Produções Musicais, projetos especiais como “Felicidade Black” e a sua visão de mercado.

Para conferir a Parte 1, clique aqui.

 

Produção Musical: novas formas de consumo e feats

 

A forma de produzir e consumir música mudou profundamente nos últimos anos. Com isso, reter a atenção tornou-se um desafio, principalmente no mercado musical. Para acompanhar esse movimento, as introduções ficaram mais curtas e há elementos para “prender” a atenção dentro de uma canção.

“Não está sendo só o processo criativo, tem uma matemática envolvida para você conseguir manter a atenção das pessoas por mais tempo possível”, destaca o produtor.

Para Umberto, estamos passando por um momento de transição e que há uma série de fatores que podem influenciar no consumo musical. Com a rapidez e a possibilidade de “viralizar” são pensados em ganchos para o TikTok, ou para que as pessoas queiram reproduzir a coreografia com àquela batida.

Diante dessa realidade, os feats não surgem apenas como uma estratégia, mas, uma forma de agregar novos públicos que é facilitada pela digitalização do mercado.

“O futuro que eu consigo enxergar daqui para frente é: a música cada vez menos segmentada e mais plural. Para você ver, a Marília Mendonça está com o Xamã e isso é maravilhoso! Há alguns anos, isso seria inconcebível. E nessa parceria está sendo ótimo para os dois!”, projeta Tavares.

Com “Você Partiu Meu Coração”, Umberto incluiu em uma mesma música: a batida de reggaeton, característica de Anitta; somado ao Funk típico do Nego do Borel e ainda havia uma sanfona indentitária do Safadão. O sucesso nacional, foi regravado com Maluma e possui atualmente mais de 1,5 bilhão de visualizações no YouTube.

 

 

Felicidade Black

 

“I can’t breathe”: o grito de socorro de George Floyd que ecoou os quatro cantos do planeta em junho, mexeu com as estruturas da sociedade. Com desafios igualitários, a indústria musical começou a repensar nos modelos de trabalho e, sobretudo, na representatividade.

Encarando como urgente essas discussões, Umberto idealizou o movimento “Felicidade Black”  que consiste em um álbum com artistas pretos em um verdadeiro movimento, mas, que também vai além, promovendo uma onda de autoestima, conhecimento e valorização preta.

“A Felicidade Black não vai parar. A melhor forma de você conscientizar o preto sobre como ele foi maltratado durante todo esse tempo e o que eu estou te falando não tem revolta e nem vitimismo, mas, é importante que ela saiba que as músicas buscam trazer pessoas que, no projeto, falam sobre ‘felicidade’ “, diz o Produtor.

Emociado, Umberto revelou ao POPline.Biz MM o quanto foi prazeroso construir essa iniciativa extremamente necessária em 2020 que começou a partir de uma ideia de um single, transformou-se em um álbum, recebeu amparo de Historiador e que possuirá um legado ininterrupto.

 

Mercado, Novos Artistas e Gestão

 

Com seus parceiros da U.M Music, que são: Carlos Costa (Mãozinha), Jefferson Jr., Marcos Sabóia e Toninho Aguiar, Umberto possui uma relação duradoura, de lealdade e de mesmo norte de conceito. Fortalecendo a importância do trabalho em equipe, Tavares destaca que só trabalha com gente da sua confiança.

“Nós temos a noção exata que somos bastidores, atrás das cortinas, e que o nosso papel é fazer a música dentro do estúdio. A nossa vaidade é fazer com que ela ande, ganhe o mundo, rompa fronteiras e mude vidas, essa é a vaidade que nós temos”, pontua Umberto.

Com o sucesso do seu trabalho, muitos artistas almejam trabalhar com a U.M Music e diante de um volume tão grande de trabalho, Umberto considera importante a humanização dos processos e que eles não se tornem “terceirizados”.

“Nós gostamos de moldar o artista, trabalhar na vida dele, de construir mesmo, gostamos de construir carreira! Essa é a primeira camada do tijolo até a última. Então, não dá para a gente delegar. Eu tenho que dar atenção, tenho que poder atender no WhatsApp, uma ligação, receber no estúdio, participar do planejamento, eu tenho que fazer isso tudo”, revela o profissional.

Para novos artistas, Tavares considera primordial o conhecimento prévio do mercado musical, principalmente quando é necessário um tempo maior para ensinar que pode ser aproveitado para uma criação de uma música.

“Sei que parece loucura, mas, costumo medir o meu tempo a partir do período que levo para fazer uma música [risos]”, conta Umberto.

Projetando a indústria musical em 2021, o produtor destaca a força do Digital e o quanto o ano vigente mostrou a importância desse alinhamento, para além dos palcos.

“As pessoas se atentaram para um outro universo que existe e que ele é muito importante, não apenas como um negócio, mas, como uma formatação do trabalho.

O trabalho que começa no estúdio, termina no palco, mas, a metade desse caminho, o resto do percurso, é todo digital. E todo mundo descobriu isso: as atenções estarão sempre voltadas para o digital e para projetos que falem, conversem e sejam importantes para o digital”, analisa Umberto.

O produtor ainda revelou ao POPline.Biz MM uma dica que ele considera um diferencial para os novos artistas: começar a produzir suas próprias ideias, a partir de aplicativos ou programas, não necessariamente para serem produtores, mas, para conseguirem traduzir seus pensamentos.

“Às vezes, é mais difícil você vender uma ideia para um produtor, empresário, gravadora que está no ar, que você tem na sua cabeça, no seu gravador, no seu telefone, que você compôs. E quando você vem com a música produzida, você consegue vender a ideia de uma maneira muito mais concreta”, revela o empresário.

Com um verdadeiro legado para a indústria musical nacional, Umberto Tavares apresenta uma sensibilidade profunda musical atrelada com o equilíbrio entre os novos modelos de negócio. A partir dessa equação, Tavares mantém sua característica visionária, apostando em novas sonoridades e projetos que ecoam de forma atemporal.

Para conferir a Parte 1 do Gente.Biz, acesse aqui.

Escrito por Láisa Naiane

Ludmilla canta “Ginga” com IZA em especial de natal do The Voice Brasil e internet pede parceria entre elas

2020 o ano que voou