in

Sia dá forte entrevista sobre histórico de depressão e superação

A cantora Sia geralmente é bem reservada quando se trata de sua vida pessoal. Manter a privacidade é o motivo pelo qual ela usa uma peruca, para não ser reconhecida nas ruas e poder ter mais liberdade. No entanto, ela deu recentemente uma entrevista à Rolling Stone e falou sobre aspectos muito pessoais.

Quem vê o sucesso da cantora, não imagina quantas dificuldades passou. No início, ela foi contratada por uma banda e, depois, demitida por uma gravadora pelo fracasso comercial. Foi nesse período que ela começou a ter problemas com alcoolismo. Foi então que veio “Breathe Me”, de 2004, que começou a se destacar após ser tocada na série “A Sete Palmos”. Esse foi o ponto de virada de sua carreira, mas é triste saber que ela escreveu enquanto tentava suicídio após agravamento de questões de saúde mental.

Tal sucesso proporcionou certa estabilidade em sua carreira, mesmo sem grandes hits. No entanto, seu problema com depressão não passou. Por volta de 2010, ela tomava muita vodka e misturava com calmantes. Na época, ela decidiu se hospedar em um hotel e tomar todos os comprimidos que tinha. “Por favor, não entre. Eu estou morta por dentro. Por favor, chame uma ambulância”, escreveu ela em carta.

Antes que ela pudesse sair para o hotel, seu telefone tocou. Sia respondeu e ouviu um velho amigo dizer: “Squiddly-diddly-doo!”. Era assim que Sia costumava responder, quando ainda tinha vivacidade. “Devia ter uma parte de mim que realmente queria viver”, ela lembra, “porque naquele momento eu pensei: ‘há um mundo lá fora e eu não faço parte disso. Mas eu gostaria de ser’”, lembrou. Ela desistiu da ideia de se hospedar em um hotel e pediu ajuda – no outro dia ela já frequentava reuniões de apoio.

Foi, então, que veio a segunda virada da carreira. “Titanium”, grande hit com David Guetta. A letra era muito pessoal (justamente sobre a superação da depressão) e ela estava insegura por parecer vendida, já que nem gostada de música dance. A faixa chegou a ser oferecida para Katy Perry e Mary J. Blige, mas chegou ao público com seus próprios vocais – e ela nem sabia. “Você está cantando no próximo álbum do David Guetta?”, avisou um fã, para sua própria surpresa.

Ela ficou furiosa. “Eu trabalhei tanto para ser uma artista legal e credível”, disse ela. “E então, finalmente, me aposentei para trabalhar apenas nos bastidores, e então, eu estou com uma música cafona”. No final das contas, ela ficou satisfeita. A música foi um hit e ganhou vários prêmios.

O sucesso de “Titanium” fez de Sia uma das compositoras mais requisitadas do ramo. Ela estava decidida a trabalhar só nesta área, mas ainda precisava cumprir contrato com sua gravadora. Você quer outra virada? Então veio “Chandelier”, que elevou a cantora como um nome forte do pop.

Sia ainda está lutando com um punhado de doenças físicas – problemas de tireoide, dores no pescoço e nas costas, enxaquecas, fadiga. Ainda assim, Sia se mantém forte em sua jornada, depois de tanta luta. “Eu configurei um modelo onde posso envelhecer”, diz ela. “Você sabe, a peruca nunca envelhece”, completa.

Escrito por Caian Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ROCKline: Imagine Dragons lança clipe para o single “Natural”

Exclusivo: Aretuza Lovi é a atração do 1007 Festival e a gente conversou com a cantora sobre o que esperar do show!