in ,

Scooter Braun brasileiro? Felipe Simas é o empresário por trás de três grandes artistas do país; entenda


Você provavelmente já deve ter lido a história da carreira do Justin Bieber. Revelado há pouco mais de dez anos, Bieber é um fenômeno inquestionável e já tem um legado de conquistas gigantesco. O responsável por descobrir o canadense, via YouTube, e levá-lo pra os Estados Unidos foi Scooter Braun. Um jovem empresário do ramo do entretenimento que conseguiu direcionar a carreira de outros dois nomes importantes do pop global: Ariana Grande e, mais recentemente, Demi Lovato. Com sua empresa SB Projects, o nova-iorquino inovou na gestão artística com estratégias que envolvem articulação de relacionamento de todas as pontas do mercado: do fã até os grandes contratantes de shows. O modelo de negócio garantiu uma posição na lista de 100 de pessoas “mais influentes do mundo” em 2013 da Revista Time.

Reprodução Instagram

Aqui no Brasil, no cenário da música, há grandes empresários que estão há décadas no mercado, mas nos últimos anos grandes cases de sucessos surgem. Felipe Simas é um dos grandes nomes nos bastidores da cena pop nacional. As semelhanças entre ele e Scooter vão além da ideia de colocar as iniciais de nome e sobrenome como nome das suas respectivas empresas de gestão artística. Antes do surgimento da SB Projects e F/Simas Empreendimentos Artísticos, ambos, tiveram que começar suas histórias do zero. E aí que encontramos mais semelhanças.

Braun entrou na indústria do entretenimento através da organização de pequenos eventos nos Estados Unidos. Seu envolvimento com produção começou ainda na faculdade em Atlanta, com organização da “after party” da turnê do Eminem e Ludacris na região. No caso do Simas, não foi muito diferente: ele também deu seus primeiros passos no mundo do showbizz enquanto cursava publicidade em Curitiba. Seu primeiro evento foi a produção de um show da banda Engenheiros do Hawaii.

Foto: Gabriele Oliveira

A partir agora, neste artigo, vamos traçar um paralelo entre os três principais artistas gerenciados por cada empresário: de um lado Justin Bieber, Ariana Grande e Demi Lovato; do outro Tiago Iorc, Anavitória e Manu Gavassi. As coincidências entre o norte-americano e o brasileiro dizem muito sobre um entendimento de consumo do mercado de música pop hoje no mundo: a importância de conseguir se comunicar com público alvo de forma inteligente, a transparência no discurso e, sobretudo, a representatividade e coerência através do lifestyle que o artista imprime nas suas músicas, atitudes e posicionamentos.

Tiago Iorc & Justin Bieber
Cantores no pop nacional, nos últimos dois anos, voltaram a figurar nas paradas de sucessos, mas quem puxou a nova safra foi Tiago Iorc. Com seu álbum “Troco Likes” e o hit “Amei Te Ver”, Iorc alcançou um novo público e viajou por todo Brasil com um dos maiores faturamentos do seu segmento – trocou teatros por grandes casas de espetáculos a partir de 2015. Bieber também puxou a fila no início da década passada e assumiu o topo da lista de cantores pop mais populares no mundo. Entre os dois, o que também vemos em comum, foi uma pausa na carreira: Iorc ficou um tempo longe da estrada e das paradas. Seu retorno foi marcado no ano passado com o “Reconstrução” e um Acústico MTV. Já Bieber ficou sem lançar álbum por quatro anos. Longe dos palcos, ele casou. Seu retorno foi marcado pelo lançamento do álbum “Changes” em fevereiro. Ele entraria em turnê agora, em maio, mas teve seus planos adiados por conta da pandemia.

Foto: Breno Galtier

ANAVITÓRIA & Ariana Grande
No ano passado, enquanto Ariana Grande ganhava o prêmio de Melhor Álbum Pop no Grammy, adivinha quem ganhava na mesma categoria no Grammy Latino? Sim, ANAVITÓRIA! Ariana, Ana e Vitória tem a fidelidade dos fãs como principal pilar da carreira. Eles consomem absolutamente tudo lançada por elas. Até mesmo parceria com artistas de outros segmentos. Lá na gringa, Ariana tem parceria com rappers como Future, Big Sean e 2 Chainz; DJs como Zedd e Calvin Harris; e até Andrea Bocelli. A dupla ANAVITÓRIA também traz a versatilidade como diferencial. Em sua discografia, há parcerias com dupla sertaneja Matheus & Kauan; cantor de axé Saulo Fernandes; com o rapper Projota e até um álbum com o veterano Nando Reis. Essa facilidade de circular por vários estilos musicais é, sem dúvida, uma estratégia adotada pelos empresários para aquisição de novos públicos. Porém, a execução dessa estratégia exige atenção e uma certa habilidade nas escolhas – o que Simas e Braun realmente sabem fazer.

Demi Lovato & Manu Gavassi
Não foi Scooter quem descobriu Demi, nem Felipe quem ajudou Manu a dar seus primeiros passos. Pelo contrário, elas já passaram por grandes escritórios de gestão artística. Demi, por exemplo, já integrou o casting da Roc Nation, do Jay Z. Enquanto Manu, aqui no Brasil, tem passagem pelo Midas Music, do Rick Bonadio. Demi ainda não completou um ano na SB Projects, mas já coleciona conquistas de um recomeço improvável, após problemas pessoais sérios. Scooter inseriu Demi no horário principal do último Grammy. E o melhor: colocar sua agenciada para lançar uma música no palco da premiação. Resultado? “Anyone” escalou direto para o topo do iTunes.

Felipe Simas e sua equipe também estão por trás da maior conquista dos últimos tempos da trajetória da Manu. A decisão de cantora de participar da primeira edição do Big Brother Brasil com famosos foi impulsionada pelo apoio do empresário. Ela ficou em terceiro lugar no reality show, ganhou mais de 10 milhões de seguidores no Instagram e se consagrou um dos maiores ícones pop do país em 2020.

Enfim, Demi e Manu estão tendo a oportunidade de escrever novos capítulos das suas histórias.

Extra: muito além da música. Eles chegaram nas telonas – “Never Say Never” e “Ana & Vitória”

Esse artigo não pode acabar sem pontuarmos sobre a visão de chegar a música em outras plataformas dos empresários. Não que isso seja algo novo, mas transformar o conteúdo musical em filme e ser campeão de bilheterias é para poucos. A turnê “Never Say Never” revolucionou o modelo de documentários-musicais: Nos Estados Unidos, o documentário se tornou o filme sobre concertos de música com maior bilheteria desde 1984, e o documentário com a terceira maior bilheteria desde 1982.  Scooter assina a produção.

No Brasil, Simas também conseguiu levar as meninas para as telonas. O filme “Ana & Vitória” chegou aos cinemas em 2018 e, no ano passado, entrou no catalogo da Netflix, figurando até hoje entre os mais assistidos e recomendados da plataforma. O longa é descrito como uma comédia musical e teve a produção assinada por Felipe Simas.

Escrito por Redação POPLine

Selena Gomez vai estrelar programa de culinária para HBO Max

Baekhyun, do EXO, divulga foto teaser do próximo álbum solo