Foto: Reprodução Internet/YouTube
in

Rapper processa Mark Zuckerberg em US$ 20 milhões por discriminação

Além de Boosie Badazz, relembre outros casos de discriminação atribuídos ao funcionamento das redes sociais

O rapper Boosie Badazz está travando uma batalha judicial contra Mark Zuckerberg. Durante uma recente entrevista para o canal no YouTube VladTV, o artista de 38 anos de idade revelou que está processando o empresário em 20 milhões de dólares após ter vítima de discriminação racial no Instagram em agosto deste ano.

Foto: Reprodução Internet

De acordo com o rapper, a plataforma suspendeu sua conta e isso teve um grande impacto em seus empreendimentos comerciais: “Zuckerberg fez com que alguns de meus empreendimentos comerciais caíssem, então estou processando ele agora”, disse Boosie.

“Eu tinha 10 milhões de seguidores. Você está f****** minha renda. Não vou processar por 300 bilhões de dólares… Só estou processando por $20 milhões de dólares”.

Para o Boosie, a suspensão da conta no Instagram envolve discriminação por conta de sua raça, afirmando também que essa não é a primeira vez que esse tipo de violação acontece:

“Esta é a primeira vez que meu Instagram foi [tirado] de mim. Então você pode devolver o Instagram de outras duas milhões de pessoas por coisas depreciativas que elas fizeram?… Isto é discriminação. Alguma coisa está errada.”

“Meu povo negro está começando a me dizer: Boosie, este homem é racista. Ele sabe que você tem força na comunidade negra e os faz sorrir todas as manhãs. Por que ele não está lhe devolvendo sua página?. Ele pode estar tentando nos impedir de sorrir”.

A imprensa norte-americana, no entanto, noticiou que a conta de Boosie no Instagram foi desativada devido ao conteúdo sexualmente explícito apresentado em suas transmissões ao vivo.

Em agosto, Boosie fez um apelo a Zuckerberg. Porém, ao falar sobre o empresário, acabou errando seu nome, dizendo Mark “Zuckinberger”. Isso, para o rapper, está sendo o motivo pelo qual sua conta não voltou a ser atividade: “Alguém deve estar louco porque eu disse errado o nome deles e eles estão tentando me castigar”.

Acusações de discriminação nas redes sociais são frequentes

É importante dizer que essa não é a primeira vez que redes sociais são envolvidas em polêmica sobre discriminação. No Twitter, por exemplo, internautas se uniram para expor que os algoritmos projetado para otimizar a visualização de imagens no feed da rede social acaba ocultando pessoas negras.

A plataforma até chegou a emitir um comunicado, dizendo: “Não encontramos evidências de preconceito racial ou de gênero em nossos testes. Mas está evidente que temos mais análises para fazer. Continuaremos a compartilhar o que aprendemos, quais ações tomamos e abriremos o código para que outros possam revisar e replicar”.

Já no Instagram a discriminaçõ também acontece. Influenciadores negros resolveram fazer um teste para ver a funcionalidade dos algoritmos, como foi o caso de Sá Ollebar. Ela publicou fotos só de mulheres brancas em seu feed após ver seus números de seguidores e likes diminuírem. O resulto, segunda Sá, foi um aumento nas interações após a publicação do post.

Além disso, em agosto deste ano, o Instagram removeu uma foto de um internauta Rafael Lugão, que aparece beijando seu namorado, alegando que o clique “vai contra as diretrizes da comunicade”.

Escrito por Carolina Stramasso

Vocalista do Belle & Sebastian volta a falar de feat com Anitta: “Porta está aberta”

Do nada! Shawn Mendes lança música de natal com Camila Cabello. Ouça!