Pharrell Williams e Taylor Swift. Foto: Instagram
in ,

Pharrell Williams sai em defesa de Taylor Swift em batalha sobre direitos autorais com Scooter Braun

“Existe um sistema que está totalmente errado”, declarou

Taylor Swift ganhou um forte aliado na batalha que trava com Scooter Braun. Nesta quarta-feira (16/12), foi a vez de Pharrell Williams sair em defesa da cantora. Durante uma entrevista à “Variety”, o cantor declarou que todo a artista deveria ter direito sob suas criações. Para quem não lembra, o empresário colocou a venda gravações dos seis primeiros álbum de Swift, num valor aproximado de U$ 300 milhões (mais de 1,5 bilhão de reais).

“Não há nenhuma outra indústria no mundo onde uma start-up decole e não seja a proprietária da marca registrada – simplesmente não faz sentido. Pode ser legal, mas ainda é um crime. Se um banco sair com a propriedade de uma empresa e a marca registrada, de quanto um criador deve realmente participar? O artista deve sempre ter a parte do leão de sua criação ”, disse ele sobre a necessidade de os artistas reterem os direitos de suas músicas.

Foto: reprodução/ Instagram @taylorswift @scooterbraun

De acordo com a revista “Variety”Scooter negociou o material que estava sob o poder da antiga gravadora da cantora, a Big Machine Label Group, adquirida pelo empresário há 17 meses. Indgnado, Pharrel continuou seu discurso, prestando toda sua solidariedade a voz de “evermore”.

“É realmente lamentável. Havia espaço para (Scooter) fazer sua aquisição, porque esse é apenas o jeito que o negócio é, e eu sinto por (Taylor). Existe um sistema que está totalmente errado. Ele é um empresário e também representa artistas, então, do ponto de vista dele, está apenas fazendo a aquisição de algo que acha que seria um bom investimento. Mas o artista deveria ter a oportunidade (de manter a propriedade), e não sei se ela teve ou não”, disse o cantor.

Foto: reprodução/taylor swift Instagram

Quando comprou a gravadora, em Junho de 2019, Braun pagou pouco mais do que o valor pedido nas masters de Swift. A negociação envolveu todas as esferas da gravadora, incluindo os direitos pelo trabalho de seus artistas. No começo de sua carreira, Taylor Swift assinou um contrato com a BMLG. Com o fim de seu contrato, em 2018, Taylor migrou para Universal Music Group.

“Só sei que o sistema é conectado de maneiras que nem sempre são justas com o criador. Acho que deveria ser a norma que os criadores mantivessem seus direitos”, finalizou Pharrell.

Taylor Swift explica a situação

Em meio a repercussão da venda, Taylor Swift escreveu uma carta aberta ao seu público em que explica a situação de suas fitas masters. De acordo com a cantora, após tentativas frustradas de uma negociação com o empresário de Justin Bieber e Ariana Grande, uma empresa chamada Shamrock entrou em contato com a sua equipe.

“A equipe de Scooter queria que eu assinasse um contrato afirmando que eu nunca mais diria uma palavra sobre Scooter Braun a menos que fosse positivo, antes mesmo de podermos ver os registros financeiros da BMLR. Eu teria que assinar um documento que me silenciaria para sempre antes que eu pudesse ter a chance de licitar meu próprio trabalho. Minha equipe jurídica disse que isso não é normal e eles nunca viram um contrato como este.Essas gravações principais não estavam a venda para mim, declarou ela, em carta aberta.

 

Escrito por Leonardo Rocha

A Fazenda: Finalistas se emocionam com cartas e visita de amigos e parentes

leo picon

Leo Picon e DH lançam novo single, “Good&Fodasse”, nesta sexta-feira