in

Ouro Negro: 132 blocos afro desfilam na programação de Carnaval da Bahia

Governo baiano investe R$14,7 milhões em agremiações de carnaval de Salvador e interior

Os foliões que estiverem em Salvador ou no interior do estado da Bahia poderão conferir 132 blocos afro durante a programação de carnaval, com apoio de R$ 14,7 milhões do governo estadual através do projeto Ouro Negro. 103 dos blocos apresentam-se na capital baiana. Malê de Balê, Filhos de Gandhy, Commanche do Pelô e Grupo Quixabeira estão entre os nomes cotados para animar os dias da festa mais esperada do ano.

Atração confirmada no Camarote Pride, Thiago Pantaleão levará seu pop ao Carnaval de Salvador!

Carnaval da Bahia: governo sanciona lei que proíbe uso de pistola de água

Sob o comando de Psirico, Afropunk retorna ao Carnaval de Salvador

Noite da Aclamação: saiba como foi o baile pré-carnaval de Léo Santana e Lore Improta

Malê de Balê é uma das atrações de 2024 no carnaval de Salvador. Foto: Secult/BA

 

Com aumento de 50% dos investimentos públicos para a folia em relação a 2023, os blocos afros baianos acessam neste ano o maior aporte realizado no projeto Ouro Negro em seus doze anos de existência. Segundo a Secretaria de Cultura da Bahia, o projeto visa fortalecer as atuações de afoxés, blocos afro, de samba e de reggae.

O projeto de apoio aos movimentos artísticos baianos foi apresentado no dia 17 de janeiro, no Largo Quincas Berro D’água, no Pelourinho, centro histórico de Salvador. Estiveram presentes o governador do estado, Jerônimo Rodrigues, o vice-governador, Geraldo Júnior e os secretários de Cultura, Bruno Monteiro, e da Promoção da Igualdade Racial, Ângela Guimarães.

Além do carnaval, o Ouro Negro alcança outras festividades baianas, com mais 38 projetos foram contemplados para a Lavagem do Bonfim, a Lavagem de Itapuã, a Lavagem de Santo Amaro e a Micareta de Feira de Santa. Os blocos deste carnaval apresentam-se nos consagrados circuitos Dodô, Osmar e Batatinha e mais cinco oficiais: Orlando Tapajós, Sérgio Bezerra, Batatinha, Riachão, Mestre Bimba e Mãe Hilda Jitolú.