in

Os pseudônimos usados por cantores para assinar músicas para outros artistas

Muitos artistas da música usam pseudônimos para assinar composições para terceiros, receber o dinheiro devido por elas, e não causar alarde com o público e a gravadora. Assim, conseguem transitar por outros territórios, sem que isso afete (positivamente ou negativamente) sua própria carreira. Um pseudônimo, além de esconder a autoria verdadeira, também permite maior liberdade de criação e expressão. É como criar um perfil fake na Internet para poder falar o que não diria com seu próprio perfil.

Alguns pseudônimos, depois de algum tempo, perderam sua função primordial: a identidade por trás dos nicknames foram reveladas. Há vários casos e você confere alguns deles abaixo.

Taylor Swift

Emblemático. Quem não se lembra do dia que a assessoria da cantora veio a público dizer que a música “This Is What You Came For” do Calvin Harris (ex-namorado da Taylor) era, na verdade, uma composição dela? Taylor Swift havia sido gravada por Rihanna sem que ninguém soubesse de nada, porque havia usado o pseudônimo de Nils Sjöberg.

Harry Styles

Em 2015, a MTV americana revelou que Harry Styles – ainda no One Direction – estava vendendo letras de músicas para outros artistas sob o pseudônimo de Mick Greenberg. Era uma maneira de escoar sua criatividade, o que não era totalmente possível sendo membro de uma boyband. Harry foi descoberto porque, certa vez, ele deu check-in em um hotel usando o mesmo nome, Mick Greenberg, e disse isso à BBC Radio.

Justin Bieber

O cantor não só escreveu como gravou músicas usando o pseudônimo de Bizzle. Em 2014, o rapper Khalil lançou duas canções “feat. Bizzle” no Soundcloud, chamadas “Time For Bed” e “Playtime”. A voz não poderia ser mais reconhecível: era Justin Bieber, sim! Os dois eram grandes amigos na época em que Justin se metia em problemas. Até foram presos juntos.

Elton John

O cantor que está se aposentando também usou pseudônimo – há muito tempo atrás. Nos anos 1970, ele e seu parceiro de composição Bernie Taupin escreveram “Don’t Go Breaking My Heart” para a cantora Kiki Dee, mas assinaram como Ann Orson e Carte Blanche.

Prince

Ele não tinha um, mas vários pseudônimos. Superprodutivo, Prince escreveu muitas músicas para outros artistas, como Kenny Rogers e Cyndi Lauper, nos anos 1980. Ele assinava como Joey Coco, Alexander Nevermind e Jamie Starr.

David Guetta

Diferentemente dos casos acima, o DJ não se fez de rogado e assumiu desde o início que o pseudônimo Jack Back é, na verdade, um alterego. Ele lançou uma mixtape de 12 faixas, neste ano, assinando esse nome. Uma das músicas, “(It Happens) Sometimes” alcançou o 1º lugar na parada Dance Club Songs da Billboard.

Coldplay

Caso recente. Ainda não está claro porque a banda inventou esse pseudônimo, Los Unidades, mas ela lançou o “Global Citizen EP 1” usando esse nome na semana passada. Os membros do Los Unidades são os mesmos do Coldplay, então não houve muito mistério. É só uma questão artística.

Escrito por Leonardo Torres

ROCKline: Revelação dos indicados ao Grammy Awards tem data alterada

Música nova? Justin Bieber tem visitado estúdio de gravação em Los Angeles