Metaleira! Miley Cyrus prepara álbum de covers do Metallica
(Foto: Reprodução / Instagram @mileycyrus)
in ,

O que a crítica está dizendo sobre “Plastic Hearts”, o novo álbum de Miley Cyrus

O novo álbum de Miley Cyrus, “Plastic Hearts”, foi lançado oficialmente nesta sexta-feira (27) e vem sendo amplamente comentado por fãs, jornalistas e especialistas da indústria. O projeto marca uma mudança de sonoridade da cantora, que apostou em referências que vão do hard rock ao new wave.

LEIA MAIS

Miley Cyrus nunca esteve tão sagaz, explosiva e carismática como em Plastic Hearts

Ouça o álbum: 

Na imprensa, a maioria das críticas voltadas ao projeto rock n’ roll de Cyrus são positivas até agora. O jornal The Independent, do Reino Unido, deu 4/5 estrelas para o álbum:

“Do início ao fim, Plastic Hearts veste melodias pop cativantes, endividadas nos anos 80, em couro cravejado de rock (…) É basicamente um caminhão cheio de diversão com mais sangue e coragem, impulsionado pelo carisma imprudente, de garganta aberta de Cyrus”

Em outro momento, a publicação destaca os aspectos sinestésicos do disco:

“Plastic Hearts está carregado com todas as emoções explosivas da televisão dos anos oitenta. Ouvindo, eu me senti como quando era criança, assistindo o The A-Team saindo de um armazém fortemente vigiado com uma carga de TNT e jipes-malvados indo em direção ao céu, mas milagrosamente sem causar baixas. O melhor do pop e do rock combinados. Segure-se nos chuveiros”.

(Foto: Divulgação)

A revista britânica especializada New Musical Express (NME), que já havia aclamado o single “Prisoner”, foi ao encontro do jornal conterrâneo e deu a mesma nota ao álbum de Miley:

“‘Plastic Hearts’ encontra a estrela pop que virou estrela do rock indo para o inferno pelo couro – e quando Miley Cyrus está a todo vapor, é uma explosão absoluta. A vida imitou a arte e ela se tornou sua própria Ashley O”. – NME fazendo referência a personagem interpretada por Cyrus em um episódio da série Black Mirror.

O site da revista Clash seguiu a tendência:

“Em um ano envolto em isolamento e faminto de interação social, onde os indivíduos foram forçados a descobrir a alegria inesperada da solidão, “Corações de plástico” pode ser apenas a trilha sonora desta jornada enquanto você embarca em seu próprio modo de fera Rocky montagem de auto-empoderamento desavergonhado”.

Com algumas ressalvas em relação a sonoridade do álbum, a Exclaim, de modo geral, fez uma crítica positiva a “Plastic Hearts”: “O álbum chega ao auge quando Cyrus finalmente oferece colaborações inspiradas no rock retrô com Billy Idol e Joan Jett. Esses dois campeões do rock dos anos 1980 trazem um pouco de coragem ao álbum, levando Cyrus para a direção mais pesada que ela vem provocando há anos”.

O jornal “The Guardian”, porém, publicou uma crítica mista sobre o lançamento:

“Ouvindo Plastic Heart, é difícil não suspeitar de um senso de compromisso: tentar encurralar os diversos interesses de Cyrus em algo com apelo comercial óbvio para evitar as vendas silenciosas de Younger Now de 2017, que não conseguiu convencer os fãs de pop ou atrair a multidão country tradicional . Não é um álbum ruim, mas é muito menos interessante e mais direto do que o artista que o fez.”

Escrito por Douglas Françoza

Billie Eilish explica como o seu próximo álbum foi afetado pela pandemia

Ex-esposa de Biel comenta participação do funkeiro em A Fazenda: “Livramento”