Brad Elterman for Rolling Stone
in ,

Na Rolling Stone, Miley Cyrus diz que pela primeira vez prestam mais atenção nas suas músicas

Cantora diz que as pessoas focavam mais em distrações como sua nudez.

Miley Cyrus está na capa da mais recente edição da revista Rolling Stone, uma das mais relevantes quando se trata de música. Ela falou sobre como resgatou a sonoridade rock no álbum “Plastic Hearts“, sobriedade e como encontrou o respeito que ela merece. A sessão de fotos também é bem ousada!

Brad Elterman for Rolling Stone

Rock

A revista diz que parece que ela estava esperando para fazer esse álbum mais inspirado no Rock por anos e ela concorda.

Eu poderia dizer que planejei isso e sou um gênio estratégico, mas gostaria de ser tão estratégica assim. Eu nunca sei que tipo de álbum estou tentando fazer quando começo a fazer. E então, por causa de como meu estilo de vida [é] e onde estou na minha vida, sempre se encaixa e funciona porque é simplesmente honesto. Eu cresci ouvindo música country; nós somos contadores de histórias. Cada registro é uma narrativa“, afirmou ela.

Brad Elterman for Rolling Stone

Conquistou respeito

A reportagem destaque que Miley Cyrus tem mais respeito artista agora do que nunca teve. Ela tem uma explicação

Eu acho que estou realmente abraçando – e todo mundo está abraçando também – que a música é uma prioridade agora. [Aponta para uma foto gigante dela lambendo uma casquinha de sorvete tirada em 2013.] Olhe para essa porra de parede. Isso não era sobre a música por um momento. A música estava dirigindo, mas todas essas coisas daquela época, especialmente no Bangerz, os momentos da cultura pop quase eclipsam a própria música. Acho que estou simplesmente apaixonada pelo fato de que, pela primeira vez, parece que está realmente focado na música, e acho que senti que quase levei a culpa pela distração às vezes“.

“Lembro-me de comentários dizendo… ‘Por que diabos você distrai todo mundo ficando nua e sacudindo sua bunda quando você é uma cantora talentosa?’. Mas porque eu cresci assistindo o show da Cher religiosamente, eu amo o show business. Eu adoro entretenimento. Eu amo a cultura pop. Amo momentos inesquecíveis”, comentou.

Ela continua: “Eu acho que havia um equilíbrio em mim apenas amando fazer grandes momentos na mídia, mas também uma tristeza no fato de que eu pensava: ‘Alguém pelo menos ouviu minha música?’. Quando você pensa em [2013] ‘Wrecking Ball’, você não pensa na dor. Você não pensa em mim olhando diretamente para a câmera, quebrando a parede, chorando, estendendo a mão. Você se lembra de eu ficar nua, e não sei de quem é a culpa. Não sei se é minha ou a forma como nossos cérebros são programados para pensar a sexualidade, por falta de uma palavra melhor, supera a arte“, complementa.

Brad Elterman for Rolling Stone

Sobriedade

A cantora reforçou que está sóbria e fez isso pela bem da sua saúde. No entanto, ela encara como uma possiblidade a questão de ter uma recaída.

“Não uso drogas há anos. Honestamente, nunca mais vou usar, se eu tentar ser uma vidente. Tento não ser ingênua. Coisas acontecem, porra. Mas, por estar sentada aqui com você agora, eu diria que teria que ser um dia frio no inferno para eu recair nas drogas. Eu possivelmente comeria cogumelos. Eu tomei ayahuasca, e realmente gostei disso, mas não acho que faria de novo”

Brad Elterman for Rolling Stone

Ela continua falando sobre o assunto: “A sobriedade era uma escolha. Depende de como você olha isso. Acho que é necessário cumprir meu propósito agora. Tento reservar tudo por agora, porque senão vira uma afirmação e]aquela pressão de manter. Acho que é o que ‘Midnight Sky’ diz, ‘Para sempre e nunca mais.’ Não há mais declarações concretas“, completa.

Escrito por Caian Nunes

Emicida manifesta apoio à Dani Calabresa após acusações de assédio sexual de Marcius Melhem

BTS responde sobre namoro em entrevista