(Foto: Reprodução Instagram/@jacksonwang852g7)
in ,

K-Pop: Jackson apresentará single “LMLY” na TV norte-americana

Artista confirmou presença no “The Late Late Show” com James Corden

Após o anúncio de que TWICE participará do programa de Kelly Clarkson, agora chegou a vez de Jackson Wang brilhar na TV norte-americana. O artista, que também integra o grupo de K-pop GOT7, confirmou que estará presente no “The Late Late Show” com James Corden no próximo sábado (21)!

(Foto: Reprodução Instagram/@jacksonwang852g7)

Jackson já esteve no programa em 2019, quando bateu um papo com o apresentador sobre as diferentes culturas de seu país. Para quem não sabe, ele é natural de Hong Kong, na China, enquanto James Corden é britânico.

Neste ano, a participação do artista irá entregar uma performance inédita do mais novo single solo “LMLY“.

A apresentação irá ao ar no próximo sábado (21), por volta de 1 da manhã no Brasil, e estará disponível no YouTube.

LEIA MAIS: Jackson, do GOT7, diz que sempre assiste vídeos de seus fãs

GOT7: Jackson rompe contrato com Adidas em protesto

Em março, Jackson anunciou o fim de sua parceria com a marca Adidas. O artista rompeu contrato com a marca em protesto contra o uso de mão-de-obra forçada (escrava) na produção de algodão em Xinjiang, na China. A Adidas é acusada de usar algodão produzido nessa região.

No perfil oficial de Jackson no Weibo, foi divulgado um comunicado confirmando o fim de parceria com a empresa.

A partir de hoje, esse estúdio (agência) e Senhor Jackson Wang deixarão de trabalhar com a marca Adidas Originals. Os interesses do país estão acima de tudo, e o estúdio e o Senhor Jackson Wang são estritamente contra todos os atos maliciosos que difamam e caluniam a China”, diz o texto.

Natural de Kowloon Tong, em Hong Kong, Jackson trabalhava com a Adidas desde 2018. Ele estrelou diversas campanhas da marca.

Entenda o caso envolvendo Xinjiang

Jackson não é o primeiro a romper com uma marca em protesto contra o trabalho forçado em Xinjiang. Victoria, do grupo f(x), também rompeu sua parceria com a marca H&M. Da mesma maneira, ela divulgou um comunicado criticando o uso do algodão produzido em Xinjiang, fruto de trabalho forçado.

Recentemente, os Estados Unidos, a União Europeia, o Reino Unido e o Canadá impuseram sanções a autoridades da China, dado o desrespeito aos direitos humanos em Xinjiang.

Em meio ao repúdio internacional crescente, (a China) continua a cometer genocídio e crimes contra a humanidade em Xinjiang”, disse o secretário de Estado norte-americano Antony Blinken. O governo chinês, contudo, nega todas as acusações de abuso.

Defensores dos direitos humanos confrontam a China há bastante tempo, e garantem que cerca de um milhão de uigures e outras minorias, sobretudo muçulmanas, são mantidas em campos de trabalhos forçados em Xinjiang. É escravidão no século XXI.

Curtiu esta matéria? Clique aqui para ler mais conteúdos do Oh My God! by POPline. Tem listas, curiosidades, virais, celebs, k-pop, reality shows e muito mais sobre cultura pop!

Escrito por Carolina Stramasso

Kelly Osbourne desabafa sobre recaída após 4 anos sóbria

“Carinhoso” chega ao topo e é a música mais gravada do Brasil