in , , ,

Com “Flowers”, Miley Cyrus iguala recorde de Mariah Carey na Billboard Hot 100

Na atualização desta semana, o smash hit saltou da posição #3 para a #2

O que "Flowers" e "All I Want For Christmas Is You" têm em comum? Fotos: Jacob Bixenman; Instagram/@mariahcarey

Prestes a completar meio ano de lançamento, “Flowers”, de Miley Cyrus, desfruta de uma estabilidade impressionante… Na atualização da Billboard Hot 100 desta terça-feira (30), a canção aparece na 2ª posição, o que a faz empatar com o hit natalino “All I Want For Christmas Is You”, de Mariah Carey, no que se refere à música de uma artista feminina a ‘chartear’ por mais tempo no top 3 da parada estadunidense. As duas estrelas acabam de igualar o recorde de 19 semanas entre as posições mais altas. Sucesso!

Foto: Brendan Walter

LEIA MAIS:

Já quando o que entra em pauta é mais tempo no topo da lista, Carey sai à frente de Cyrus. O hino atemporal de 1994, que se tornou a música natalina mais emblemática da história, já esteve na 1ª posição da Hot 100 por 12 semanas não-consecutivas. Já o lead single do “Endless Summer Vacation” (2023), mais recente disco de Miley, encabeçou a parada por 8 semanas.

Em comparação com a atualização da semana passada, Miley saltou uma posição com a música, permanecendo dentro do top 3. O single também continua a figurar no top 5 da Global 200 e Global Excl. US, duas outras importantes paradas da Billboard.

Quem não para de subir na lista é a dupla Selena Gomez e Rema, que saltaram da posição #6 para a #4 com o hit “Calm Down”. Os fãs da cantora e do rapper nigeriano estão na expectativa de que a faixa chegue ao topo da parada nas próximas semanas. Será?!

LEIA MAIS:

Capa da Vogue, Miley Cyrus revela que não gostaria de fazer novas turnês mundiais

Foto: Steven Meisel

Voz por trás de um dos maiores hits do ano, Miley Cyrus é a estrela de capa da edição de junho da revista Vogue. A cantora de “Flowers” revelou, em entrevista à publicação britânica, que não gostaria de sair em turnê mundial novamente: “Quero viver minha vida para o prazer ou realização de outra pessoa que não seja o meu?”, questionou. Ela também expôs um problema de saúde que a acometeu após lançar seu mais recente disco e revelou que não se “deslumbrou” com o sucesso apoteótico de seu último hit #1.

No último ano, Miley Cyrus viveu momentos delicados em cima do palco. Em março, ela quebrou o recorde de público em um show no Lollapalooza Brasil, em São Paulo, após o avião em que estava ser atingido por uma tempestade e logo depois de perder o amigo Taylor Hawkins, baterista da banda Foo Fighters.

Após um hiato de 8 meses afastada dos palcos (e dos holofotes), em novembro ela foi headliner do festival Corona Capital 2022, no México. Durante a apresentação, a artista não parecia estar muito bem e fãs acreditam que ela tenha sofrido crises de ansiedade enquanto performava.

Agora, num momento mais reclusa, parece que uma das coisas que a cantora menos quer é uma agenda atribulada de shows.

“Depois do último show que fiz [em 2014], eu meio que olhei para isso mais como uma pergunta. E eu não posso. Não só ‘não posso’, porque não poder é minha capacidade, mas sim o meu desejo. Quero viver minha vida para o prazer ou realização de outra pessoa que não seja o meu?”, questionou Miley, se referindo à “Bangerz Tour”, a última turnê mundial que fez.

“Adoro performar, principalmente para os meus fãs, mas cantar para centenas de milhares de pessoas não é realmente o que eu amo. Não há conexão. Não há segurança. Acho que é muito difícil agradar a 100 mil pessoas simultaneamente. Também não é natural. É tão isolador, porque se você está na frente dessa gente toda, você está sozinha”, refletiu a intérprete de “Jaded”.

A artista, que surpreendeu os fãs ao sumir de cena mesmo tendo conquistado um sucesso apoteótico com o single “Flowers”, revelou que sofreu um “surto de dor” logo após o lançamento do disco “Endless Summer Vacation”, em março.

“Depois que o álbum foi lançado, tive um surto. Eu estava com muita dor. Eu tinha ido para a festa de lançamento da Gucci, eu tinha ido para a Versace e minhas glândulas supra-renais estavam meio esgotadas, e eu estava de volta à coisa de estrela pop e percebi que tive esse surto. E então, quando fui esquiar, o que não faz muito sentido, me senti melhor. Acho que foi porque eu era anônima. Eu estava com meus grandes óculos de proteção, sabe, e ninguém jamais saberia quem era eu”, disse Miley à Vogue inglesa.

Há meses os fãs vêm reclamando de uma ausência da cantora em um momento em que a divulgação do novo álbum devia estar a todo vapor. O agravante de um problema de saúde, porém, é um assunto novo para eles.

A artista revelou, ainda, que o sucesso triunfal de “Flowers”, faixa que abriu os trabalhos de seu último álbum de estúdio, não encheu seus olhos. Embora tenha celebrado todos os êxitos da música, ela conta que sempre viu como algo “momentâneo”, que sabia que uma hora iria acabar.

“Posso ser o número 1 agora, mas o número 2 está a caminho. Tudo é sazonal […]. Muitas manchetes [recentemente] disseram: ‘Este é o momento de Miley’. E eu fico tipo, ‘É exatamente isso. É um momento. E vai acabar'”, concluiu a cantora.

Apesar do posicionamento da artista, “Flowers” prova de uma estabilidade surpreendente nos charts e paradas. A canção, que já arrematou o #1 do Spotify Global e da Billboard Hot 100, segue em destaque e batendo números expressivos.

Faixa a atingir mais rápido o montante de 1 bilhão de streams na história do Spotify, o lead-single do “Endless Summer Vacation” ocupa a atual 5ª posição da parada global da plataforma. Já na Hot 100, a faixa ocupa atualmente a posição #3.