in ,

“Eurovision”: Um dos maiores concursos de música do mundo ganhará versão nos Estados Unidos

Na Europa, o “Eurovision Song Contest” é dos concursos de músicas mais populares e importantes, que acontece anualmente e elege a melhor música da Europa. Com tradição desde 1956, pela primeira vez ganhará uma versão americana. De acordo com o MusicWeek, está previsto para 2021 o “American Song Contest“.

O “American Song Contest” vai selecionador cantores dos 50 Estados Unidos que participarão de uma grande competição. A regra é que serão apresentadas músicas inéditas. Qualquer um pode participar, de anônimos a artistas que têm certa projeção na mídia – nesse caso, o que importa é a música.

Eurovision ganhará versão nos Estados Unidos
Foto: Divulgação

O responsável é Ben Silverman, co-CEO e presidente da produtora de entretenimento Propagate. O Eurovision é um dos programas de TV mais assistindo no mundo, acumulando 200 milhões anualmente – isso é mais que o Super Bowl, maior audiência da TV dos Estados Unidos. Geralmente, as emissoras que exibem dobram suas audiências. Um fenômeno.

Nos mais de 50 anos de história, já foram vencedores Céline Dion (1988), representando a Suíça, e o ABBA em 1974 pela Suécia. A única música em português que venceu foi em 2017. “Amar Pelos Dois” foi interpretada por Salvador Sobral, de Portugal. Apesar de alavancar várias carreiras, o objetivo não é encontrar um novo astro, mas sim escolher a melhor música.

O formato é grandioso

Imagine se a música fosse um esporte olímpico e artistas de todo o mundo se unissem para competir pelo ouro. Esse é o Eurovision Song Contest. A versão americana será diferente de tudo o que já foi visto na televisão americana, combinando a fanfarra e a emoção de March Madness e os playoffs da NFL com a arte e a beleza de performances de classe mundial. O American Song Contest é um concurso que passa a ser televisionado, em vez de um concurso criado para ser um programa de televisão. E está aberto a todos os cantores com uma música, sejam eles artistas amadores ou já assinados com uma grande gravadora. Ninguém é excluído da competição”, definiu o executivo Anders Lenhoff.

Levar o Eurovision para os Estados Unidos é um desejo antigo de Ben Silverman. “Por mais de 20 anos, tentei levar o Eurovision Song Contest para os Estados Unidos, porque é o formato maior e mais bem-sucedido ainda a ser adaptado. Antes de eu descobrir o ‘Quem quer ser um milionário’ ou o ‘Idol’, o Eurovision estava dominando as classificações e os gráficos. Simplificando, não há nada igual na televisão. O espetáculo é incrível. É uma pura celebração do melhor da música e do que pode ser a música, produzida pelos artesãos de elite do mundo em todos os campos de produção“, definiu.

Antes da estreia, a equipe vai criar uma bancada de jurados especializados que selecionarão músicas pelo país. Juntamente com o público regional, eles selecionarão os melhores talentos de todos os 50 estados para competir. Podem ser artistas solo, duplas ou bandas com até seis membros.

O formato posicionará os artistas frente a frente com os representantes de outros estados em uma série de cinco a dez competições qualificatórias televisionadas, levando a meias-finais e a final final no horário nobre.

Escrito por Caian Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Novo álbum do Little Mix tem previsão lançamento para daqui a um ou dois meses

Padre Fábio de Melo faz a 1° tatuagem: "Sinal de um tipo difícil, mas também bonito". Foto: Divulgação

“Já pertenci ao grupo de preconceituosos”, diz Padre Fábio de Melo sobre críticas à sua tatuagem