Foto: Fred Othero
in ,

Entrevista: Álbum “A Saída Está Dentro” fala de medos e inseguranças do Projota

“Fala sobre a chance que tive de conhecer mais sobre mim mesmo após a esse período tão delicado pós reality”, disse ele.

Falta muito pouco para o público ouvir “A Saída Está Dentro”, novo álbum do Projota que está marcado para sair na noite deste 13 de janeiro. Este é um projeto muito significativo por vários motivos, sendo definido por ele próprio como um “disco em que as emoções estão à flor da pele”. As 11 faixas refletem o período de sua participação no reality show Big Brother Brasil e tudo o que aconteceu após disso, incluindo sentimentos intensos como o reencontro com si próprio e a perda.

Foto: Divulgação

Leia Mais:

Para este disco, a criação foi bem diferente do que estava acostumado a fazer. Desta vez, ele reunião uma banda em um estúdio e foi criando de forma colaborativa, bem naturalmente. A essência de Projota, no entanto, não muda. Ele continua fazendo músicas “músicas intensas e de peito aberto”, falando sempre o que pensa em letras reflexivas. Com 20 anos de carreira, o rapper tem muita bagagem, mas mostra que ainda tem muito de novo para mostrar.

Entrevistamos o artista para saber detalhes sobre o projeto. Confira!

O processo de criação do álbum “A Saída Está Dentro” foi bem diferente do que você está acostumado, né? Conta um pouco para a gente!

Creio que uma mudança bastante perceptível está na forma como foi produzido. Meus últimos álbuns eu produzi sozinho no meu home estúdio, era uma forma muito própria de fazer, mas me limitava bastante em termos de construção da sonoridade, pois eu ficava preso aos instrumentais que eu já recebia prontos. Dessa vez eu montei um time de grandes músicos, e nos internamos no estúdio do Big Rabelo pra criarmos em conjunto tudo que vocês podem ouvir agora.

Você afirmou que explorou bastante suas emoções no novo álbum. Quais foram as suas maiores inspirações para as músicas?

Meus medos e inseguranças, a chance que tive de conhecer mais sobre mim mesmo após a esse período tão delicado pós reality, e também a minha família, que entre perdas e ganhos segue sendo meu grande Porto Seguro.

A Saída Está Dentro” é um álbum bastante intenso. Qual é a sua música favorita e qual foi a mais difícil de fazer?

Seria impossível eleger uma favorita, a cada semana eu mudo e não seria justo com as outras músicas eu citar a minha favorita dessa semana. A mais difícil com certeza foi ‘Isaías’, pois precisei cavar muito fundo dentro de mim, e ela continua me machucando sempre que eu escuto.

O novo álbum traz convidados como Lourena, Melim, Nando Reis e Fernandinho Beatbox. De onde surgiu a ideia dessas parcerias e como foi gravar com eles?

Uma das grandes alegrias da minha vida é sempre poder contar com artistas gigantescos pra cantar ao meu lado, e essa lista de parcerias cresceu ainda mais nesse disco. Cada um desses nomes tem um lugar especial no meu coração, suas canções marcaram momentos da minha vida e agora nós tivemos a chance de fazer novas canções que irão marcar a vida de outras pessoas.

Melim já são meus amigos há algum tempo, inclusive temos música juntos já, então foi só chamar o Diogo no WhatsApp e dizer: irmão, tenho uma bomba aqui! Fernandinho é um amigo de muitos anos, e tive a honra de contar com seu talento na música O Hype! Lourena é uma jovem artista que já encanta tanta gente e eu pirei na voz dela desde a primeira que ouvi, e fico muito feliz de eternizar Pássaros ao seu lado pois a música representa muita coisa pra mim. O Nando Reis… não sei nem como dizer, é um daqueles feats dos sonhos, sabe? Eu sempre quis fazer um som com ele e é um daqueles feitos que a gente diz: zerei o game!

Foto: Fred Othero

Você traz a versão 2022 de “Chuva de Novembro”. Por que você decidiu fazer uma nova versão do seu clássico?

Esse ano a música completa 10 anos, e já faz um tempo que eu escrevi e deixei guardada essa segunda parte. Foi uma forma de mostrar o outro lado da história, mesmo sem perder o sentido da canção, que diz pra que a gente aproveite o hoje e valorize as pessoas que temos ao nosso lado enquanto podemos. Meus fãs pedem por essa resposta há 10 anos e se Deus me enviou a inspiração, eu me sinto na obrigação de entregar pra eles o resultado disso. Acho que muitos vão se emocionar demais quando ouvirem o que estava escrito na mensagem.

Em poucos dias começa a BBB22. Há um ano você estava lá. Como você se sente quando a isso?

Me sinto em paz, finalmente em paz. Sinto que estou onde eu deveria estar, na exata latitude e longitude do tempo e espaço da história do universo (risos) Entende? Sou grato a Deus por tudo, por todo o aprendizado que o BBB me trouxe e por poder hoje materializar parte disso em forma de música, que é o que sei fazer. Desejo sabedoria e muita luz a todos os próximos participantes.

Escrito por Caian Nunes

Nicki Minaj é retirada de processo de assédio movido por acusadora de seu marido

Instituto Ekloos e Oi Futuro: edital de aceleração voltado à cultura e economia criativa