in ,

Entrevista: Claudia Leitte relembra assédio de Silvio Santos e fala de música com Anitta: “Vai sair no tempo de Deus”

Uma das atrações do Festival da Virada Salvador, Claudia Leitte está radiante! Exibindo fios mais longos e escuros a cantora deu uma entrevista bem-humorada ao POPline onde falou da nova música “Saudade”, em parceria com Hungria Hip Hop, relembrou o assédio que sofreu de Silvio Santos no Teleton e ainda entregou que a música em parceria com Anitta está de pé, mas ainda sem data de lançamento!

Há mais ou menos um ano você anunciou que faria uma música com Anitta, a parceria ainda está de pé?

Nós conversamos, na verdade, Anitta falou que lançaríamos a música antes mesmo dela nascer. E isso gerou uma ansiedade em nossos fãs, mas estamos no aguardo da música. Não pode ser qualquer coisa. Só parceria por parceria, ela virá no tempo de Deus. É algo que a gente quer!

Claudia, você recentemente lançou o seu novo single, “Saudade” em parceria com Hungria Hip Hop em que relembra momentos importantes da sua vida. Qual a história desse som?

Tatau que é um gênio da música. Essa melodia de lamento… É uma nota menor. O refrão é um grito de dor, o “oh, oh, oh”. É algo que a gente canta junto. Ele trouxe a melodia, despertou isso em mim, me fez abrir a minha caixinha de fotos, tudo que trazia saudades, eu revisitei a minha história e a partir disso as coisas foram acontecendo. Além disso, conseguimos trazer Hungria para música, um nome do hip-hop atual, um ritmo que está fazendo sucesso em todo o mundo. A gente sempre quis mesclar. O axé é uma mistura uma fusão de estilos. Ele é um cara apaixonado pela música de Salvador e ficou amarradão em pisar em Salvador, tocar com a percussão. O clipe é uma releitura de outros clipes de Sarajane, Luis Caldas, Michael Jackson e Babado Novo. São grandes influências pra mim. Eu cresci ouvindo essas pessoas, tenho lembranças ouvindo essas músicas, passando pelo Centro Histórico e ouvindo essa galera.

É uma forma também de voltar ao axé raiz já que o ritmo passa por uma crise?

Eu não tive uma intenção estratégica de retomar alguma coisa porque não acredito que estamos passando por uma crise. Acho que todo movimento popular é cíclico. Sempre tiveram os “booms” do axé, do funk, do sertanejo… Porque o povo elege. Porém, nunca vi o axé tendo um momento ruim. Existe uma necessidade de renovação, natural em qualquer processo, mas não tive essa intenção.

Recentemente você se posicionou contra o assédio que sofreu de Silvio Santos no Teleton. Para você, qual a importância de ser uma pessoa pública e levantar uma bandeira como essa?

A minha bandeira sempre foi o amor. Sempre preguei o respeito pelo outro. Não quero que ninguém seja desrespeitado. Homem, mulher… Então acho que através da minha música, energia, manifestações, eu sempre prezei pelo amor. Nunca tolerei desrespeito. Já me equivoquei várias vezes, já pedi perdão várias vezes… Acho que todo mundo tem que fazer isso. Estamos no palco sob luzes, julgamentos, etc, mas somos todos humanos e estamos aqui pra aprender!

Escrito por Helena Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Camila Cabello tira férias e aprende a esquiar

Agência diz que ouviu novas músicas de Nicki Minaj, mas ela nega