banner com link para rádio globo
Alana Leguth lança selo HERvolution | Foto: Felipe Max/Divulgação
in

Entrevista: Alana Leguth, cocriadora da KondZilla, fala sobre lançamento do selo HERvolution

“Nossa intenção é produzir e lançar hits majoritariamente e até 100% femininos”, revela Alana

“Uma ideia nasce de uma vontade, a nossa é de revolucionar. Sair do lugar, mudar o foco”, começa o manifesto publicado no Dia da Mulher, 8 de março, pela HERvolution, projeto fundado pela KondZilla. O vídeo, narrado por Alana Leguth, 32 anos, que cocriou a empresa ao lado de Konrad Dantas, traz o caminho que ela quer trilhar ao lado de artistas mulheres com a criação de um novo selo.

Leia mais:

“Queríamos mostrar que o HERvolution é mais do que um programa de TV, somos a voz e a representatividade feminina da potência KondZilla, com o propósito de revolução. O manifesto é uma declaração das nossas intenções, como uma conversa com o nosso público para lembrá-las que o nosso lugar é onde a gente quiser”, comenta Alana sobre o manifesto.

Segundo ela, o Selo HERvolution chega, com o apoio da KondZilla, e foco voltado nas artistas mulheres. “Nossa intenção é ouvir, acolher, dar oportunidades e claro, produzir e lançar hits majoritariamente e até 100% femininos”. O selo ainda não tem data divulgada de lançamento, mas o mercado já está de olho na movimentação da empresa e, principalmente, no caminho de curadoria pelo qual ele vai seguir.

Além de gerenciar toda a área de licenciamentos de marca, que tem lançado coleções de roupas, acessórios e itens colecionáveis com a marca KondZilla, Alana idealizou e dirige o projeto HERvolution, que “nasceu de uma necessidade: mais mulheres ocupando o mercado musical e audiovisual. Acredito que nosso projeto pode auxiliar como amplificador de vozes levando informação para nos fortalecer”, destaca a empresária.

O HERvolution é um espaço de protagonismo para os talentos femininos da música urbana em um projeto musical para unir vozes e talentos em feats musicais inéditos misturando o funk, o rap e o trap com outros estilos, com músicas produzidas, compostas e interpretadas por mulheres.

Alana Leguth | Foto: Felipe Max/Divulgação

Com apenas dois trabalhos lançados, o suficiente para mostrar a força desse olhar, o projeto chegou à RedeTV, e aí criou asas: hoje, além de manter o escopo do projeto musical, ele também é um programa de televisão semanal que aborda variedades e temas pertinentes ao universo feminino.

“Se comparado ao cenário de ontem, com certeza, estamos evoluindo lentamente. Sempre é possível melhorar e é isso o que queremos. Cerca de 30% do mercado musical é composto por mulheres. Com o nosso selo Hervolution, estamos focadas em dar atenção para as artistas mulheres e seguir propondo e impondo mudanças”, revela Alana.

Com menos de um ano a Alana Leguth e o HERvolution foram indicados ao WME Awards 2021, nas categorias “Profissional do Ano” e “Inovação na Web”, respectivamente. Coroando o HERvolution como “Inovação na Web 2021”, o primeiro prêmio do HER logo em seu ano de estreia.

E finaliza: “O prêmio foi uma confirmação de que estamos no caminho certo e foi um ótimo reconhecimento pelo trabalho de toda a equipe. E essa é a maior importância dentro da indústria musical, fazer a diferença e colocar cada vez mais mulheres ocupando espaços e cargos”.

Escrito por Rafa Ventura

Aerosmith anuncia residência em Las Vegas após dois anos longe dos palcos

Murilo Benício comenta possível ‘cancelamento’ em “Pantanal”