DJ Ivis. Foto: Twitter
in

Deezer pode tirar músicas do DJ Ivis da plataforma de streaming

Caso de violência contra a ex-mulher, Pamella Holanda, está ganhando repúdio de famosos e empresas

Acusado de agressão contra a ex-mulher, DJ Ivis pode ter suas músicas excluídas das plataformas de stream. Após uma série de manifestações de famosos e anônimos revoltados com as imagens do artistas batendo em Pamella Holanda, a Deezer Brasil deixou claro que “não compactua com violência”, além de reforçar que “medidas estão sendo tomadas”.

“Meu papo é reto: não há justificativa quando o assunto é violência contra a mulher. Não compactuo com essa conduta inadmissível. Sei que as devidas medidas estão sendo tomadas, e logo eu volto aqui para reforçar o meu posicionamento”, diz a postagem compartilhada no Instgaram do aplicativo de música.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Deezer Brasil (@deezerbr)

Além da Deezer, internautas indignados com as imagens fortíssimas que circularam nas redes, onde Ivis aparece agredindo a ex em frente a filha deles, de apenas 9 meses, promoveram um protesto nas redes sociais,  convidando todos a silenciarem o artistas das plataformas digitais para que suas músicas n]ao toquem, mesmo que eventualmente através de playlists dos aplicativos.

Entenda o caso

Uma reportagem de Léo Dias para o jornal Metrópoles detalhou o dia em que Dj Ivis, nome artístico de Iverson de Souza Araújo, agrediu a sua esposa Pamella Holanda, de 27 anos, foi levado à delegacia metropolitana de Eusébio, no Ceará, mas não foi preso. A vítima confirmou as agressões e divulgou imagens de uma câmera de segurança que mostram o artista a agredindo na presença da filha, ainda bebê, e da babá da criança.

(Foto: Instagram/@pamellaholanda e @djivis)

Nas imagens, Ivis dá socos e chutes, empurra e puxa o cabelo de Pamella, que tenta se defender empurrando o cantor. Os trechos divulgados pela vítima, de acordo com ela, foram gravados em datas diferentes. O POPline não irá reproduzir as imagens por se tratar de um conteúdo sensível.

A partir daí, uma verdadeira comoção tomou conta das redes sociais. Além de chocar a opinião pública, os triste caso repercutiu entre famoso que repudiaram a violência promovido pelo DJ. Juliette, Duda Beat, Lia Clark, Pocah, Lexa, Ivete Sangalo, Preta Gil e outras cantoras demonstraram apoio à vítima e pediram justiça.

Escrito por Leonardo Rocha

K-Pop: BTS quebra novo recorde no Japão

BTS tem a melhor estreia da semana no Spotify com “Permission To Dance”

Após fala de Antônia Fontenelle, Juliette desabafa sobre xenofobia