in ,

Com apresentações surpreendentes, Banda Uó e Karol Conka se destacam no Festival MADA

Exatamente uma semana após o último fim de semana do Rock in Rio, a cidade de Natal, no estado do Rio Grande do Norte, foi palco de mais um festival musical no Brasil: o Festival MADA (Música Alimento da Alma).

Chegando à sua 19ª edição, os dois dias do MADA foram a exibição perfeita de diversidade musical e humana, todos juntos para desfrutar do melhor da música brasileira da atualidade.

E no meio de nomes como Nando Reis, Pitty, Baiana System e artistas de diferentes gêneros musicais, seja rock, rap, reggae, dois nomes da música pop brasileira se destacaram com shows surpreendentes e que levaram o público ao delírio.

Banda Uó e Karol Conka.

Em dias diferentes, a Banda Uó e Karol Conka foram responsáveis por momentos de imensa entrega do público à lista de sucessos que os dois artistas possuem.

Banda Uó

Na sexta-feira (29), a Banda Uó driblou o calor intenso da Cidade do Sol, como é conhecida Natal, e entregou um show intenso, com muitos sucessos e muita dança. Muita dança mesmo. Mesmo à noite, o calor era intenso, mas Mateus, Davi e Candy Mel não se abalaram e enlouqueceram o público com músicas como “Arregaçada”, “Sauna” e “Búzios do Coração”.

A evolução artística da Banda Uó é notável, principalmente para quem esteve presente ao primeiro show do trio em Natal, lá no comecinho da carreira deles, entre 2011 e 2012. Tanto em produção, como em presença de palco e até no repertório, que dessa vez deixou (quase) de lado as famosas versões, que botaram a Banda Uó no radar musical do país, e foi composto quase que em sua totalidade por suas próprias músicas, dos álbuns “Motel” e “Veneno”.

Claro que não faltou “Shake de Amor” e até “Corpo Sensual”, música de Pabllo Vittar que tem participação do Mateus Carrilho. Inclusive, um dos pontos altos do show do MADA.

Sempre muito simpáticos, o trio atendeu todos os fãs que os procuraram para fotos (e que não foram poucos), antes, depois e até durante o show. Sim, uma garota invadiu o palco para tirar uma foto com Davi, Candy e Mateus.

Karol Conka

Mamacita é realmente O Poder. A presença da cantora curitibana é algo que pode ser comparado a algum evento natural de grandes proporções. E o show dela, claro, não poderia ser menos grandioso.

Sem o auxílio de equipe de palco, como dançarinos, Karol apresentou todos os seus sucessos e praticamente hipnotizou o púbico, que vibrava a cada sucesso entoado pela cantora. É como se maravilhar com um encantador de cobras. Karol, sozinha no palco, fazendo o que muita gente tenta fazer com muitos “truques” de palco e ainda não conseguem.

Além de tudo, o show de Karol é recheado de bom humor. Ela brinca, “tira onda” (como é falado em Natal) com a galera, com o DJ, até com o seu irmão, membro de sua equipe de produtores.

Um dos pontos altos, claro, é quando a cantora chama pessoas da plateia para “recriar” uma performance de Rihanna. Dublando e fingindo ser a cantora de Barbados, Karol Conka dançou com três fãs (incluindo a mesma menina que invadiu o palco da Banda Uó. Sortuda).

Os sucessos eram apresentados em uma espécie de combo, um atrás do outro, Karol encantava e enlouquecia o público com músicas como “Lalá”, “É o Poder”, “Maracutaia” e, é claro, “Tombei”.

Para finalizar, como de costume em seus shows, Karol Conka emocionou o público com seu cover de “Back to Black”, música de Amy Winehouse.

Antes de deixar o Festival MADA de vez, Karol Conka ainda fez uma participação surpresa no show da Pitty, onde cantaram juntas a música “Respect”, de Aretha Franklin.

Esse foi o terceiro show de Karol em Natal e no MADA, e ela já deixou marcado seu nome na história dessas 19 edições do festival.

Fotos: Ian Rassari, Gustavo Dantas e Luana Kayze/Festival MADA

Escrito por Kavad Medeiros

Christina Aguilera divulga comercial de sua nova fragrância

Niall Horan anuncia turnê para 2018 já com shows no Brasil