banner com link para rádio globo
(Foto: Globo)
in ,

No BBB22, Eslô fala sobre Arthur: “colocar ele para que outro saia”

A sister conversava no ‘Quarto Lollipop’ sobre a formação do próximo paredão e mencionou uma indicação no brother

Enquanto se arrumava para a ‘Festa do Líder‘ de Paulo André nesta quarta-feira (02), Laís, Eslovênia e Vyni conversaram no ‘Quarto Lollipop‘ sobre o futuro do programa. Os brothers analisarem suas possibilidades para o próximo paredão que será formado no BBB22 e, também, deram sua opinião sobre quem deve ou não receber votos no próximo domingo (06).

BBB22: “Final de um ciclo”, diz Vyni após DR com Eliezer

(Foto: Globo)

LEIA MAIS:

O trio começou a falar sobre suas opções de votos para o próximo paredão. “Ali é qualquer um que eu coloco. Eu coloco Douglas, Arthur, Scooby…”, comentou. O cearense rebateu e disse que não votaria no surfista neste momento. Eslovênia, então, disse que também votaria em Douglas.

Foi quando o nome de Arthur Aguiar virou o foco da conversa. “Arthur agora não é o momento”, disse Laís sobre votos no brother. Vyni concordou com a sister e complementou: “Seria legal só para completar um paredão”, imaginou o bacharel em direito.

“Colocar Arthur hoje seria interessante porque a gente sabe que ele volta. Colocar ele para que outra pessoa saia, entendeu? Essa seria a estratégia. Porque a gente imagina que ele é forte”, disse Eslô.

Preocupado, Vyni também disse acreditar que um dos brothers do ‘Quarto Lollipop‘ estará de qualquer jeito no próximo paredão. Para ele, só será possível reverter a situação tensa para o grupo caso haja uma mudança na dinâmica da formação. “Inevitavelmente, se a dinâmica não mudar, vai ter que ir alguém desse quarto, afirmou.

Curtiu esta matéria? Clique aqui para ler mais conteúdos do Oh My God! by POPline. Tem listas, curiosidades, virais, celebs, k-pop, reality shows e muito mais sobre cultura pop!

Escrito por Kaique Corrêa

Não vem mais! Dulce Maria confirma que não haverá turnê do RBD em 2022

Djonga rebate críticas por tocar para a “elite branca” em festivais caros