in , ,

De álbum novo, WIU detalha planos de disco conjunto com Matuê e Teto e revela com quem faria um feat

Trapper está de volta com “Vagabundo de Luxo”, uma seleção de músicas pensadas para as pistas

WIU lança o segundo álbum da carreira, "Vagabundo de Luxo". Foto: Luq Dias

WIU viu sua vida mudar da água para o vinho com o disco “Manual de Como Amar Errado” (2022), que inclui, entre outros, o hit “Coração de Gelo”. Agora, depois de emplacar sucessos nas paradas, subir ao palco dos maiores festivais do Brasil e fazer turnês na gringa, o trapper cearense de 22 anos brinda suas conquistas com “Vagabundo de Luxo”, álbum que acaba de ser lançado nas plataformas. Ao POPline, WIU detalhou a proposta do projeto, elegeu suas faixas favoritas e revelou o que o público ainda pode esperar dele em 2024!

LEIA MAIS:

Foto: Bruno Gordilho

O artista, que acumula 10,8 milhões de ouvintes mensais no Spotify, conta que esse álbum é, sim, uma continuação do anterior, mas que, diferentemente do outro compilado, não se prende tanto em contar uma história com início, meio e fim.

No “Vagabundo de Luxo”, WIU se atentou a trazer uma seleção de músicas para que as pessoas possam se jogar e vibrar na pista. Ele, que se diz um colecionador nato de playlists, reflete que esse novo álbum por pouco não poderia ser definido como uma espécie de playlist para se ouvir enquanto se arruma para o rolê.

“Do ‘Manual de Como Amar Errado’ pro ‘Vagabundo de Luxo’ muita coisa aconteceu muito rápido. ‘VDL’, como eu chamo carinhosamente, é a continuação desse legado do menino que amava demais. Foi um álbum que eu falava muito de sentimento, de emoção, de amor […]. Agora, passou um furacão na vida do ‘Vagabundo de Luxo’, todo mundo quer um pedaço dele. Ele, que não deixou seu lado ‘vagabundo’ morrer, mesmo depois de passar por tantos ambientes, conhecer tantas pessoas […]. Ele tá lá na pista se divertindo, vivendo a vida como tem que ser”, expõe WIU sobre a narrativa do novo álbum.

Foto: Bruno Gordilho

Um álbum feito para as pistas

O sucessor do “Manual de Como Amar Errado” reflete, sim, a própria realidade de WIU e as profundas transformações que marcaram sua vida desde o primeiro hit. Agora, cheio de experiências na bagagem e com grande visibilidade, ele relata, através do compilado de 13 músicas, como tem sido a vida sob a pele de um ‘Vagabundo de Luxo’.

Embora seja um autorretrato das próprias vivências, WIU quis entregar um álbum divertido, leve, e que exalte toda a energia das pistas, do rolê, da sensação dominante que é evocada quando estamos curtindo ao lado de amigos e pessoas que amamos. Como o próprio artista o define, é um disco “mais direto ao ponto”, livre de grandes preocupações e feito para curtir a vibe do momento.

“Nesse álbum eu foquei em trazer ritmos pra galera dançar. Não só sentimentos e coisas que as pessoas possam se identificar, mas trazer um álbum mais pra cima, mais alegre, que brinca mais com o que as pessoas sentem na pista em relação à música, à farra. O álbum é o ápice daquele momento ali que você tá no seu melhor mood, com seus amigos, com a pessoa que ama”, destaca o trapper.

A era do “Vagabundo de Luxo” começou oficialmente no último dia 3, quando, uma semana antes de lançar o álbum, WIU deu o primeiro gostinho do compilado com o single “Rainha da Finesse”. Produzida por ele mesmo, a faixa mescla trap e ritmos que ele cresceu ouvindo, como forró e piseiro. O artista destaca que, de todo o álbum, a música que ele mais acredita encapsular a essência do “VDL” é “Vidigal”.

“Eu sempre me arrisquei […]. Eu gosto de me jogar nessas brincadeiras porque me diverte. Eu trago a energia de quando eu me divirto, acho que não tem graça se não for assim […]. Eu mesmo produzi ‘Rainha da Finesse’. É o ritmo que todos os ‘vagabundos de luxo’ do Ceará escutam, não só do Nordeste, mas do Brasil todo. É o ritmo que a galera curte, bebe junto, dá risada, dança, vai no chão […]”, diz WIU a respeito da experimentação de novos gêneros, algo já inerente ao seu som e que ganha reforço com o novo álbum.

Foto: Bruno Gordilho

LEIA MAIS:

Estreia no Palco Mundo do Rock in Rio e desejo de parceria com Cabelinho

Depois de passar pela edição de estreia do The Town, no ano passado, WIU foi escalado para subir ao Palco Mundo do Rock in Rio ao lado de Matuê e Teto. O trapper estará no evento logo no primeiro dia da edição de 40 anos de história do festival, em 13 de setembro.

WIU contou ao POPline que está muito ansioso para o grande dia e que parece que sua ficha ainda não caiu, mas diz que, no momento, está totalmente entregue ao lançamento do novo álbum. Apesar disso, o cantor diz que tem certeza que será um show muito especial e que confia inteiramente na equipe de Matuê, que toma frente nos preparos para apresentação.

Desafiado pelo POPline a escolher apenas um dos artistas do line-up do Rock in Rio 40 para gravar uma parceria, WIU não pensou duas vezes antes de eleger o nome de Cabelinho. O dono do disco “LITTLE LOVE” (2022) sobe ao Palco Sunset também no dia 13 de setembro, acompanhado pelo Coral das Favelas.

“Eu faria um feat com o Cabelinho. Acho que a galera ia gostar muito. Inclusive ele caberia muito bem nesse álbum, no ‘VDL’. Apesar de não ter feat nenhum, quem sabe não vem um remix de alguma coisa”, vislumbrou WIU.

Foto: Bruno Gordilho

‘Álbum da 30’: Um compilado de parcerias inéditas entre ele, Matuê e Teto

WIU, Matuê e Teto, que compõem o casting do selo fonográfico 30PRAUM, já arremataram grandes sucessos juntos, a exemplo de “Vampiro” e “Flow Espacial”, de 2022 e 2023, respectivamente. Já tem algum tempo, porém, que os artistas prometem a chegada de um álbum inteiro só de parcerias deles.

O trapper diz que, hoje, já é um pouco mais difícil conciliar as agendas e que o encontro entre os três em estúdio é uma raridade. WIU deixa claro que o conceito em si desse álbum em conjunto ainda não existe, mas que eles já têm prontas algumas músicas que entrariam no disco, e que é algo no qual trabalham sem pressa.

“O álbum da 30 em si é uma parada que a gente não força. Eu, Teto e Matuê, a gente junto deixa a parada ser o mais intuitiva e orgânica possível. O momento que a gente está no estúdio é muito raro. Na época de ‘Vampiro’, era mais fácil, porque a gente tava começando a criar esse convívio, a gente destinava espaços da agenda pra isso. Mas esse álbum ainda é uma coisa que tá sendo conversada, sendo criada com muito esmero, muito carinho. Ele ainda não existe, mas músicas que provavelmente vão entrar já existem, a gente sempre escuta elas e eu fico me ‘coçando’ pra lançar o quanto antes”, revelou WIU.