Foto: BTS Visits the SiriusXM Studios ( Cindy Ord/Getty Images for SiriusXM)/ Reprodução Instagram @blackpinkofficial
in

Agência do BTS investirá R$ 340 milhões no escritório do BLACKPINK; entenda

“Estamos ansiosos para a sinergia com a YG Plus, que tem uma rede poderosa em vários campos”, diz a Big Hit, agência do BTS

A Big Hit Entertainment (BHE), a empresa de gerenciamento por trás da sensação do K-pop BTS, deve fazer sua primeira aquisição significativa desde que se tornou seu capital público em meados de outubro. De acordo com a Variety, a companhia injetará US$ 63 milhões (KRW70 bilhões e cerca de R$340 milhões de reais) na YG Entertainment, a agência que está por trás do BLACKPINK, Treasure e do recém-renovado irmãos do grupo de música folk AKMU.

A Big Hit e o seu braço de mídia beNX vão investir KRW30 bilhões e KRW40 bilhões, respectivamente, na YG Plus, dando a eles uma participação combinada de 17,9% na afiliada YG que se concentra na distribuição de música e merchandising.

Espera-se que a YG Plus ajude a BHE com as atividades de distribuição e comercialização, enquanto a beNX abrirá sua plataforma de mídia social Weverse e a Weverse Shop para ações da YG Plus.

Saudando a mudança como uma “parceria estratégica”, BHE disse:

“Estamos ansiosos para a sinergia com a YG Plus, que tem uma rede poderosa em vários campos, como distribuição e produção de merchandising, e Big Hit e beNX, que são fortes em artistas propriedade intelectual e plataformas”, diz a companhia.

Mercado Musical na Ásia

Em um anúncio separado, a gigante coreana de buscas na internet e mídia social Naver Corporation disse que vai investir US $ 319 milhões (KRW355 bilhões) também no beNX. Ao mesmo tempo, beNX em breve mudará seu nome para Weverse, que é a sua criação mais notável até hoje.

A enxurrada de movimentos corporativos segue uma forte alta de 35% nas ações da BHE desde 18 de janeiro de 2021, e para 54% acima do preço pelo qual vendeu suas novas ações em outubro. O aumento repentino do preço das ações eleva a capitalização de mercado da BHE para US $ 6,69 bilhões (KRW7,39 trilhões).

De acordo com análise da Variety, as mudanças pouco fazem para diversificar o portfólio da BHE de sua forte dependência do BTS. Isso só acontecerá quando a BHE estabelecer uma base mais ampla de performers por meio de aquisições ou novos lançamentos de sucesso, ou quando o BTS perder força, o que vem se mostrado improvável em um curso espaço de tempo. Antes do IPO, BHE comprou a Source Music, lar de GFriend, em 2019, e a Pledis Entertainment, com artistas como NU’EST e Seventeen, em meados de 2020.

A previsão é que este ano seja um ano particularmente agitado para o lançamento de novas bandas de todas as principais agências. Alguns atos emanarão de programas de talento de TV e outros de programas de gestão de talentos de longo prazo das próprias agências. Em 2021, o BHE deve lançar uma boy band voltada para o mercado japonês e também seu primeiro girl group em cerca de nove anos.

Escrito por Láisa Naiane

Cardi B coronavírus

Cardi B diz que gastou uma fortuna com testes semanais de Covid-19

Carlos Bolsonaro critica “BBB”, dá RT em tweet sem noção e apaga