Menu
in ,

A longa trajetória de Ava Max até seu álbum de estreia “Heaven & Hell”

Cantora participou de concursos da Rádio Disney na infância e tentou contratos com gravadoras durante toda a adolescência.

(Foto: Divulgação)

Ava Max lançou seu primeiro álbum, “Heaven & Hell”, na última semana e tem colhido críticas favoráveis. O jornal The Guardian deu quatro estrelas para sua estreia. O disco inclui o hit “Sweet But Psycho” (2018), o que já faz dele um sucesso.

Com 611 milhões de visualizações em seu clipe, “Sweet But Psycho” foi Top 10 na Billboard Hot 100 e nº1 nas paradas de outros 22 países. O single conferiu à Ava certificados de platina em 14 países e de diamante no Brasil, na França e na Polônia. Um fenômeno.

Uma longa trajetória até “Heaven & Hell”

Entre “Sweet But Psycho” e seu álbum de estreia, Ava Max levou dois anos. Mas sua trajetória até esse disco é ainda mais longeva. Ava cresceu em um lar musical – a mãe cantava óperas em casa e o pai tocava piano – e sempre quis ser artista.



Desde criança, ela competia em concursos de canto da Rádio Disney em shoppings. Com 14, chegou a morar por um tempo em Los Angeles para tentar a carreira, mas a pouca idade não a deixou avançar. Mais tarde, aos 17, ela voltou à LA, disposta a fazer acontecer.

Ava escrevia suas próprias músicas, gravava demos e enviava para gravadoras e DJs. Sua situação começou a mudar em 2014, já com 20 anos, quando conheceu o produtor Cirkut. Eles lançaram uma música juntos no Soundcloud em 2016 e ela finalmente conseguiu um contrato com a Atlantic Records, no mesmo ano.

Capa do álbum “Heaven & Hell” (Foto: Divulgação)

O ponto de virada


Advertising
Advertising

O estouro veio em 2018 e, a partir disso, o mundo passou a ficar atento a ela. Dois bilhões de streams depois, “Sweet But Psycho” lhe conferiu comparações com Lady Gaga, aumentando a expectativa por seu trabalho. Ava sempre recebeu como elogios as comparações.

Na sequência do megahit, vieram “So Am I” (Top 15 no Reino Unido), “Torn”, “Tabú” (com Pablo Alborán), “Salt”, “Alone, Pt. II” (com Alan Walker), “Kings & Queens” (sua segunda entrada na Billboard Hot 100), “Who’s Laughing Now” (que ganhou remix de Cat Dealers) e “OMG What’s Happening”.



Para seu aguardado primeiro álbum, Ava Max preparou o conceito de “paraíso” e “inferno”. Cada metade do álbum representa um cenário. “Eu falo sobre essa dualidade dos desafios que enfrentamos de frente todos os dias. Algumas músicas têm um tom mais sombrio, outras são mais positivas. Heaven & Hell é esse meio termo”, explica.

(Foto: Divulgação)


Escrito por Leonardo Torres