in

“Witness” – o saldo de Katy Perry em pouco mais de um ano

Com o álbum “Witness”, Katy Perry experimentou algo pela primeira vez: baixo desempenho comercial. O disco foi rejeitado por grande parte do público, que não aderiu aos singles, e isso a deixou no olho do furacão na mídia. Como assim a hitmaker que colocou cinco singles de um mesmo disco no topo da parada americana não conseguiu colocar nenhum desta vez? Acontece nas melhores famílias. Katy Perry encerrou a turnê do álbum no último dia 21, em Auckland, na Nova Zelândia, e já é possível fazer um balanço dessa sua “era” – marcada pelo cabelo loiro e curtinho.

Esse foi um disco em que Katy Perry abriu mão de dois grandes colaboradores: a compositora Bonnie McKee e o produtor Dr. Luke. Juntos, foram responsáveis por vários de seus grandes sucessos. Ela, no entanto, manteve Max Martin, que é um nome emblemático na música pop, e contou também com o suporte de Sia, Nicki Minaj, Migos, Skip Marley. O resultado: “Witness” se tornou o primeiro álbum da americana que não foi certificado como platina nos Estados Unidos. Na verdade, nem ouro, nem prata, nem nada.

CERTIFICADOS DE WITNESSS

– Platina no Canadá.
– Ouro na Austrália, na Áustria, na França e na Holanda.
– Prata no Reino Unido.

O disco teve três quatro trabalhados: “Chained to the Rhythm” (com Skip Marley), “Bon Appétit” (com Migos), “Swish Swish” (com Nicki Minaj) e “Hey Hey Hey”.

CHAINED TO THE RHYTHM

– 514 milhões de visualizações no clipe no Youtube.
– 350 milhões de stremas no Spotify
– 4º lugar na Billboard Hot 100
– Top 10 em diversos países
– Meio milhão de unidades equivalentes comercializadas nos Estados Unidos.
– Três indicações ao VMA 2017.
– 1 troféu no BMI Awards.
– Certificado de 2x platina na Austrália, no Canadá e na Itália.
– Platina nos Estados Unidos, na França, na Espanha e no Reino Unido.
– Ouro no Brasil, na Bélgica, na Dinamarca, na Alemanha e na Nova Zelândia.

BON APPÉTIT

– 536 milhões de visualizações no clipe no Youtube.
– 150 milhões de streams no Spotify.
– 59º lugar na Billboard Hot 100.
– Top 40 nas paradas de mais de dez países.
– Uma indicação ao EMA 2017 e uma indicação ao VMA 2017.
– Um troféu no MTV Video Music Awards Japan.
– Certificado de platina na Itália.
– Ouro nos Estados Unidos, na Austrália, no Canadá e na França.
– Prata no Reino Unido.

SWISH SWISH

– 476 milhões de visualizações no clipe no Youtube.
– 83 milhões de visualizações no lyric video (revitalizando a carreira da Gretchen).
– 229 milhões de streams no Spotify.
– 46º lugar na Billboard Hot 100.
– Top 10 na Hot Dance/Electronic Songs da Billboard.
– Top 10 nas paradas de mais de dez países.
– Certificado como platina nos Estados Unidos, na Austrália e no Canadá.
– Ouro na França, na Itália e no Reino Unido.

HEY HEY HEY

– 94 milhões de visualizações no clipe no Youtube.
– 17,8 milhões de streams no Spotify.

Em termos de críticas, Katy Perry não agradou. Ela ficou com nota amarela no site Metacritic, que quantifica críticas profissionais publicadas. É uma queda com relação ao álbum anterior, “Prism”, que ficou com nota positiva (verde) – 61. Os comentários foram realmente muito desfavoráveis. Foi a primeira vez que Katy Perry não foi indicada a nenhum Grammy com um álbum, por exemplo. Mas a turnê se saiu relativamente bem.

TURNÊ

– 115 shows em arenas, passando pelos cinco continentes (a “Prismatic” teve 151 shows).
– Dois shows cancelados.
– Uma das 15 turnês mais bem sucedidas do mundo no primeiro semestre de 2018.
– Até julho, 844 mil ingressos vendidos e arrecadação de US$ 76,9 milhões, segundo Pollstar.
– Terceira turnê com maior número de vendas do Reino Unido em 2018, de acordo com StubHub.
– 40 mil pessoas no show de São Paulo (segundo o Allianz Park), superando o número das turnês anteriores. Recorde da turnê.

Escrito por Leonardo Torres

“7”: David Guetta anuncia data de lançamento de novo álbum e confirma música “Say My Name”, que seria com Demi Lovato

Justin Bieber compra mansão de US$ 5 milhões no Canadá com hipódromo privado