Foto: Getty Images
in

Warner Music alcança sua maior receita trimestral da história como uma empresa autônoma em 2020

Apesar do impacto da pandemia, a major cresce com o desempenho no streaming

O Warner Music Group divulgou ontem (1) o relatório que consta a melhor receita trimestral em seus 17 anos de história como uma empresa autônoma, com base nos bons desempenhos em streaming, o que levou a um crescimento de dois dígitos na receita digital.

Notavelmente, o crescimento do streaming de música gravada cresceu 16% em moeda constante, e a publicação digital cresceu 36%, embora a receita geral da divisão Warner Chappell tenha sido estável.

Nos três meses encerrados em 31 de dezembro de 2020, a receita total da empresa cresceu 6% ou 4% em moeda constante; a receita digital cresceu 17% ou 16% em moeda constante e o lucro líquido foi de US$ 99 milhões (cerca de R$ 534 milhões) contra $ 122 milhões (R$ 658 milhões) no trimestre do ano anterior.

Já o OIBDA – o Lucro Operacional antes da Depreciação e Amortização que é utilizado pelas empresas para dar uma imagem mais clara da lucratividade – aumentou 13% para US$ 267 milhões (R$ 1,4 bilhão) contra $ 236 milhões (R$ 1,27 bilhão) no trimestre do ano anterior. O OIBDA ajustado aumentou 18% para $ 282 milhões contra $ 240 milhões no trimestre do ano anterior, e o EBITDA ajustado aumentou 19% para $ 297 milhões contra $ 249 milhões no trimestre do ano anterior.

Os artistas com melhor desempenho durante o trimestre incluíram Dua Lipa, Ava Max, Johnny Hallyday e Ed Sheeran.

“Apesar do impacto do COVID, geramos a maior receita trimestral em nossa história de 17 anos como uma empresa autônoma, crescendo 4% em comparação com o período do ano anterior, que não foi afetado pelo COVID”, disse o CEO da WMG Steve Cooper. “O forte crescimento de dois dígitos em nossa receita digital e negócios diretos ao consumidor mais do que compensou a interrupção contínua em nosso desempenho, merchandising e receita física. Temos músicas novas e fantásticas de artistas e compositores incríveis a caminho e continuamos a aumentar nosso investimento em uma nova geração de talentos, além de inventar maneiras ousadas e memoráveis ​​de impactar a cultura global. ”

“Estamos extremamente orgulhosos de nossos resultados do primeiro trimestre, que foram destacados por um crescimento significativo em uma série de métricas importantes em comparação com um trimestre recorde anterior”, acrescentou Eric Levin, vice-presidente executivo e diretor financeiro do Warner Music Group.

“Embora certas áreas de nosso negócio permaneçam desafiadas devido ao COVID, nosso negócio principal de streaming continua forte e nossos destinos diretos ao consumidor e plataformas de streaming emergentes aumentaram nosso desempenho. Estamos bem posicionados para o crescimento de longo prazo”, destaca Levin.

O Impacto da Pandemia

A receita cresceu 6,3% (ou 3,8% em moeda constante). O crescimento da receita digital da empresa em música gravada e publicação foi parcialmente compensado por um declínio nos serviços físicos e artísticos de música gravada e na receita de direitos expandidos e no desempenho de publicação, receita mecânica e de sincronização, que reflete o impacto do COVID, observa o comunicado; a receita de licenciamento de música gravada teve resultado estável.

Foto: Warner Music Group Corp. Reports Results for the First Quarter Ended December 31, 2020

 

O aumento na receita foi devido principalmente ao crescimento na receita de streaming, a maior e mais rápida fonte de receita da empresa, um impacto favorável das taxas de câmbio e fortes lançamentos físicos e a receita de merchandising direto ao consumidor, parcialmente compensado por negócios relacionados à interrupção pela COVID e o declínio contínuo na receita física devido à transição para o streaming. A receita digital cresceu 16,9% (ou 15,5% em moeda constante) e representou 61,8% da receita total, em comparação com 56,2% no trimestre do ano anterior.

A receita operacional foi de US$ 196 milhões (RS 1,058 bilhão) em comparação com $ 165 milhões (R$ 891 milhões) no trimestre do ano anterior. O OIBDA foi de US$ 267 milhões (R$ 1,44 bilhão), um aumento de US$ 236 milhões (R$ 1,27 bilhão) no trimestre do ano anterior e a margem OIBDA aumentou 1,2 pontos percentuais para 20,0% de 18,8% no trimestre do ano anterior.

A receita de música gravada cresceu 7,1% (ou 4,5% em moeda constante). O aumento da receita foi principalmente devido ao crescimento contínuo da receita de streaming – que cresceu 17,5% em relação ao trimestre do ano anterior e 8,3% em relação ao trimestre anterior e taxas de câmbio favoráveis ​​- que foi parcialmente compensado pela interrupção dos negócios relacionados ao COVID no trimestre atual .

O crescimento da receita digital foi parcialmente compensado por declínios nos serviços de artistas, receita de direitos expandidos e a receita física. A receita de licenciamento ficou estável. O declínio nos serviços de artistas e na receita de direitos expandidos foi devido a adiamentos e cancelamentos de turnês e  menor receita de mercadoria de turnê resultante da interrupção de negócios relacionada ao COVID, que foi parcialmente compensado por aumentos na receita direta ao consumidor impulsionados por uma forte temporada de férias como COVID as restrições limitaram as compras físicas na Europa, afirma o anúncio.

A receita operacional de música registrada foi de US$ 223 milhões (R$ 1,204 bilhão), acima dos US$ 191 milhões (R$ 1,031 bilhão) no trimestre do ano anterior, e a margem operacional foi de 1,6 pontos percentuais para 19,2% contra 17,6% no trimestre do ano anterior.

A receita de publicação de música aumentou 1,2% (ou caiu 0,6% em moeda constante). O crescimento da receita digital foi parcialmente compensado pelo declínio na receita de desempenho, mecânico e de sincronização. A receita digital aumentou 35,6% (também 35,6% em moeda constante) refletindo a mudança contínua para streaming e o cronograma de novos negócios com provedores de serviços digitais, e representando 56,6% da receita total da Music Publishing versus 42,2% no trimestre do ano anterior.

A receita operacional de publicação de música foi de US$ 18 milhões (R$ 97 milhões), um aumento de 28,6% em relação aos US$ 14 milhões (R$ 75 milhões)  no trimestre do ano anterior, em grande parte impulsionada pela combinação de receitas, parcialmente compensada por aumentos na amortização. A margem operacional foi de 10,3%, 2,2 pontos percentuais acima de 8,1% no trimestre do ano anterior.

Confira o relatório completo clicando aqui.

Escrito por Láisa Naiane

"The Rarities": Mariah Carey 'serve' aos fãs uma simbiose dos 30 anos de carreira em faixas inéditas. Foto: Divulgação

Irmã processa Mariah Carey e pede US$ 1,25 milhão na Justiça

Kids' Choice Awards 2021: veja lista completa de indicados!

Kids’ Choice Awards 2021: veja lista completa de indicados!