Sir Lucian Grainge, CEO da UMG, e Bill Ackman, CEO da Pershing Square Capital | Fotos: Getty Images
in

Vivendi negocia venda de 10% da Universal Music por R$ 20 bi

“O Universal Music Group é um dos maiores negócios do mundo”, disse Bill Ackman, CEO da Pershing Square Tontine Holdings que negocia a compra.

A Pershing Square Tontine Holdings (PSTH) confirmou nesta sexta-feira (4) que está em negociação para adquirir 10% da ações da Universal Music Group (UMG). As negociações com a Vivendi, empresa controladora da major, giram em torno de aproximadamente US $ 4 bilhões (cerca de R$ 20 bilhões), representando um valor de empresa de € 35 bilhões para UMG.

A PSTH listada na NYSE é uma empresa de aquisição de propósito especial (SPAC) afiliada à Pershing Square Holdings e é liderada pelo CEO bilionário Bill Ackman, que declarou que a “Universal Music Group é um dos maiores negócios do mundo”.

“Liderada por Sir Lucian Grainge, (a UMG) tem uma das equipes de gestão mais destacadas que já encontrados. É importante ressaltar que a UMG atende a todos os nossos critérios de aquisição e investimento princípios, pois é a empresa de música líder mundial, com royalties sobre a crescente demanda global por música. Estamos muito satisfeitos em trabalhar com a Vivendi nesta transação icônica e esperamos que consumação”, completa o CEO.

Ainda este ano, após a Vivendi completar a sua listagem anteriormente anunciada da UMG na Euronext Amsterdam, PSTH planeja distribuir as ações adquiridas da UMG aos seus acionistas.
A transação proposta não está sujeita a due diligence adicional.

A Pershing Square Tontine Holdings revelou aos seus acionistas hoje que a aquisição visa os seguintes atributos estratégicos e vantagens competitivas da UMG:

  • Participação de mercado número um da indústria em um ambiente competitivo estável;
  • Equipe de gestão icônica de classe mundial;
  • Mercado total endereçável maciço e crescente. Todo mundo adora música!
  • A adoção do streaming pelos consumidores globais irá gerar muitos anos de alto crescimento;
  • IP de propriedade insubstituível e conteúdo obrigatório;
  • Fluxos de receita recorrentes e previsíveis que exigem capital mínimo, apesar do alto crescimento;
  • Base significativa de despesas de custos fixos, permitindo a expansão da margem de longo prazo;
  • Alavancagem financeira mínima (<1x Dívida Líquida / EBITDA);
  • UMG será a única grande empresa de conteúdo musical puro e não controlado;
  • UMG terá um conselho de administração independente e de alta qualidade

PSTH espera financiar a transação com dinheiro mantido em sua conta fiduciária de seu IPO na NYSE (US $ 4 bilhões mais juros), e aproximadamente US $ 1,6 bilhão em fundos adicionais do exercício de seus contratos de compra futura com os fundos Pershing Square e afiliadas. Aproximadamente $ 4,1 bilhões desses recursos serão usados ​​para adquirir as ações da UMG e pagar os custos de transação, com o saldo de $ 1,5 bilhão a ser retido pela PST Remainco.

Siga as redes do POPline.Biz é Mundo da Música para saber mais sobre os principais assuntos do mercado da música: Instagram, LinkedInFacebook e Twitter.

Escrito por Rafa Ventura

Felipe Prior tenta contato, mas Juliette o ignora

Felipe Prior tenta contato, mas Juliette o ignora

K-Pop: HyunA e Dawn se casaram? Fotos instigam fãs nas redes