Tico Santa Cruz fala sobre depoimento na Justiça de Michelle Bolsonaro contra música "Micheque". Foto: Divulgação
Tico Santa Cruz fala sobre depoimento na Justiça de Michelle Bolsonaro contra música "Micheque". Foto: Divulgação
in ,

Tico Santa Cruz fala sobre depoimento na Justiça de Michelle Bolsonaro contra música “Micheque”

Primeira-dama acusou o músico dos crimes de injúria, calúnia e difamação

Após os depósitos de R$ 89 mil na conta bancária da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, feitos por Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, ficarem sem justificativa, a banda Detonautas, liderada por Tico Santa Cruz, fez uma música chamada “Micheque” em que pedia justificativas sobre o dinheiro. Já que o próprio presidente, Jair Bolsonaro, não soube falar do caso.

Contudo, Michelle não gostou da música e deu uma queixa na polícia contra os autores. Em razão da canção, Michelle prestou queixa contra a banda, por conta de “Micheque”. Ela se declarou como vítima de injúria, calúnia e difamação, e pede que a música seja retirada imediatamente de todas as plataformas digitais.

Tico Santa Cruz fala sobre depoimento na Justiça de Michelle Bolsonaro contra música "Micheque". Foto: Divulgação
Tico Santa Cruz fala sobre depoimento na Justiça de Michelle Bolsonaro contra música “Micheque”. Foto: Divulgação

Em entrevista ao site “UOL”, Tico Santa Cruz respondeu se não estava se sentido “censurado” com a ameaça de processo.

“Uma coisa é pegar um texto que contém calúnia, difamação, injúria, algo reprovável, que de fato gera constrangimento, e entrar com uma ação. Outra coisa é pegar uma manifestação que não tem nenhuma dessas conotações e processar. Soa como intimidação”.

Tico Santa Cruz fala sobre depoimento na Justiça de Michelle Bolsonaro contra música "Micheque". Foto: Divulgação
Tico Santa Cruz fala sobre depoimento na Justiça de Michelle Bolsonaro contra música “Micheque”. Foto: Divulgação

Questionado também que a principal reclamação da primeira-dama era o título de “Micheque”, o cantor e compositor explicou que a melhor maneira dela tentar mostrar que esse apelido não tem nada a ver, seria esclarecendo o porquê dos R$ 89 mil na sua conta bancária.

“Acho que a melhor forma de se desfazer um apelido é esclarecer a questão. Quando você esclarece algo que está te incomodando e dá uma resposta clara, objetiva e honesta, qualquer tipo de apelido ou insinuação perde a validade. A própria música iria cair em descrédito, ia ter menos interesse das pessoas, se a resposta viesse a público. Pelo que vi na matéria da Veja, o que parece é que ela quer que o assunto dos cheques seja esclarecido, para que não seja mais envolvida nisso. Eu acho que está certa”.

Tico ainda continuou o seu raciocínio:

Tico Santa Cruz fala sobre depoimento na Justiça de Michelle Bolsonaro contra música "Micheque". Foto: Divulgação
Tico Santa Cruz fala sobre depoimento na Justiça de Michelle Bolsonaro contra música “Micheque”. Foto: Divulgação

“Ela tem que exigir que seja resolvida essa situação, para deixar de ser o foco. Mas enquanto não se esclarece a situação, como pessoa pública, de alguma maneira, é alvo de questionamento. Nem fomos nós que demos esse apelido, foi uma hashtag do Twitter. O apelido é só uma forma que encontraram para chamar atenção para um caso que não está esclarecido. Basta esclarecer e acabou. A música vai ficar datada, ninguém mais vai querer falar sobre esse assunto e acabou”.

Escrito por Helena Marques

Paulinho, vocalista do Roupa Nova, volta a ser internado após transplante de medula óssea. Foto: Divulgação

Após 1 mês internado, Paulinho, cantor do Roupa Nova, faz transplante de medula óssea para tratar linfoma

Vídeo mostra funks mais buscados no youtube ao longo da década