(Foto: Divulgação / NBC)
in ,

“The Voice USA”: a polêmica desclassificação de Ryan Gallagher

Candidato desclassificado confronta NBC e nega ter violado protocolo contra Covid-19.

O cantor Ryan Gallagher, desclassificado do “The Voice” dos Estados Unidos na última semana, confronta o canal NBC sobre as circunstâncias de sua saída da competição. No episódio da última segunda (30/11), o apresentador Carson Daly disse aos telespectadores apenas que Ryan “teve que deixar o programa”, sem maiores detalhes.

Gallagher fazia parte do time da Kelly Clarkson, e havia sido aprovado nas audições às cegas depois de cantar “The Prayer” de Andrea Bocelli e Celine Dion. Depois de seu “sumiço”, as notícias logo pipocaram na Internet, afirmando que ele havia sido desclassificado por violar os protocolos de segurança contra o Covid-19.

"The Voice USA": a polêmica desclassificação de Ryan Gallagher
(Foto: Divulgação / NBC)

O canal não especificou qual foi essa violação, mas notícias na imprensa americana deram a entender que tinha a ver com a mãe de Ryan, internada por Covid-19. Pelo Twitter, ele negou: “obrigado pela preocupação de todos com minha família. Todos estão bem. Essa não é a causa do que aconteceu no ‘The Voice’. Eu não desisti do programa”.

Empresário do cantor contraria versão do programa

Neste fim de semana, a revista People publicou uma matéria exclusiva, em que o empresário de Ryan Gallagher nega qualquer violação. “Na minha opinião, nada poderia ser mais distante da verdade”, disse. A NBC, no entanto, reafirmou a história com uma nota enviada à revista:

“Ryan é um artista talentoso, no entanto ‘The Voice’ tem protocolos rigorosos sobre Covid para garantir a segurança no set para nossa equipe, os técnicos e os competidores. Nós fomos informados de uma violação desses protocolos e, após examinar a situação, determinamos que Ryan não poderia participar de nosso programa sem potencialmente colocar outras pessoas em risco. Portanto, tomamos a difícil decisão de remover Ryan da competição”.

Veja a apresentação de Ryan Gallagher:

Ryan Gallagher não aceita. Seu empresário afirma que o cantor entende o rigor do protocolo, principalmente por sua mãe estar hospitalizada há três semanas. “Ele certamente não colocaria ninguém em risco intencionalmente por não seguir a política contra Covid-19 do programa”, diz o empresário.

“Como você pode imaginar, há mais nessa história do que o programa anunciou e, no momento apropriado, Ryan responderá essas alegações prejudiciais. Ryan, que começou a carreira aos 15 anos como backing vocal de Josh Groban no Michigan, está devastado pela decisão do programa. Uma carreira como cantor / performer tem sido o sonho de toda sua vida”, completa.

"The Voice USA": a polêmica desclassificação de Ryan Gallagher
(Foto: Divulgação / NBC)

Escrito por Leonardo Torres

BTS: Jin estava triste no aniversário e V salvou seu dia

BTS: Jin estava triste no aniversário e V salvou seu dia

Deise bêbada vira meme: veja o vídeo da queda épica na casa da vizinha