in

“The Voice Brasil”: IZA estreia como técnica da 8ª temporada ao lado de Ivete Sangalo, Lulu Santos e Michel Teló

Da esq. p/ dir.: Michel Teló, Ivete Sangalo, Jeniffer Nascimento, IZA, Lulu Santos e Tiago Leifert formam o time do “The Voice Brasil” 2019 (Foto: Victor Pollak)

A oitava edição do “The Voice Brasil” terá início no dia 30 de julho. E como sempre, o programa queridinho da audiência da TV Globo retorna com novidades. A maior delas, desta vez, é a entrada de IZA entre os técnicos. A cantora terá ao seu lado Ivete Sangalo, Lulu Santos e o atual tetracampeão Michel Teló. Além disso, a atriz e cantora Jeniffer Nascimento, revelada no programa “Popstar”, fará sua estreia mostrando os bastidores e terá a companhia do apresentador Tiago Leifert. Essas e muitas outras novidades foram anunciadas nesta quinta-feira (11), durante o lançamento da nova temporada, que aconteceu nos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro.

O programa continuará sendo exibido duas vezes por semana – terças e quintas, depois da novela “A Dona do Pedaço”. Há mais curiosidades acerca desta nova temporada: “Cada técnico terá dois bloqueios para usar durante a competição. Serão 20 episódios ao todo – dois a menos do que a edição anterior -, sendo seis Audições às Cegas, cinco Batalhas, quatro Rodadas de Fogo, três Ao Vivos, Semifinal e Final”.

Foto: Victor Pollak
Foto: Victor Pollak

A estreante IZA garante estar tentando focar em escolher as vozes que toquem seu coração. “Estamos todos aqui jogando com a verdade. Essa proposta da gente escolher realmente através da voz é uma experiência muito reveladora. Quando viramos a cadeira pra alguém, criamos imediatamente uma intimidade com ela, nos relacionamos com a história, nos sentimos próximos por conta da aparência ou de onde vem. São várias coisas que nos seduzem quando vemos o show. Mas, por fim, o que mais importa é a voz.”

A cantora revelou ter sido convidada duas vezes para participar antes de estourar com o hit “Pesadão”, mas disse não ter topado por não se considerar tão competitiva e por acreditar que ficaria muito nervosa. Mas na condição de técnica, ela se diz lisonjeada. “É muito legal ter um programa que incentiva artistas a continuarem acreditando na música. A dar oportunidade para as pessoas que querem viver de música. E eu estou me divertindo para caramba”, garante.

Para Ivete Sangalo, que começa sua terceira temporada no reality, os candidatos são privilegiados por poderem ouvir palavras de incentivo dos técnicos. Algo que ela própria não teve no início de sua carreira. “É bom saber que eu posso estar aqui desfrutando disso. Saber que eu sou uma cantora que posso estar dentro desse ambiente, de amor e carinho é muito lindo. E o mais importante de tudo é poder desfrutar de momentos como esse. São sonhos ali no palco que se confundem com nossos sonhos.”

Veveta falou sobre o cuidado que os técnicos têm durante as Audições às cegas e reforçou seu pensamento sobre o sonho dos candidatos. “Do ponto de vista emocional, nem sempre a gente consegue ‘construir’ a coisa certa e no tempo certo que aquele candidato precisa. Quantas histórias já ouvimos de pessoas que não cantavam, simplesmente se escreveram, arriscaram e foram chamados. Quer dizer, é um sonho muito grande e a gente tem que ter este cuidado”, explica.

Foto: Victor Pollak
Foto: Victor Pollak

Lulu Santos destacou a chegada da IZA, que entrou no lugar de Carlinhos Brown. “A Iza é brilhante. Eu gosto muito dela e sempre gostei muito da música que ela vem propondo. Tudo que ela faz é muito claro e ela é muito fácil de se conviver. Ela é muito sagaz. Eu não posso revelar nada ainda, mas vou te contar: a sorte de principiante migrou”, brinca o cantor que afirmou ter como maior desafio no “The Voice Brasil” o ato de voltar para casa e conseguir se desconectar para dormir.

Sobre o significado que um botão pressionado pode fazer na vida de um candidato, Lulu conta o que pensa a respeito: “Eu não posso racionalizar tanto, mas a gente tá aqui pra ouvir toda essa gente com o maior cuidado. A gente sabe o que quer e o que não quer. Por isso não posso ficar pensando no poder que aquilo tem porque destrói um pouco a espontaneidade. Tenho que ter um impulso, tenho que ser levado a querer aquilo também. Se isso acontecer, ótimo. Se não acontecer, a gente sabe como explicar pra essa pessoa o que aconteceu.”

E se todo mundo tenta, apenas Michel Teló pode ser penta. E ele chega com fome de vitória novamente. “A gente veio pra se divertir, mas é rumo ao penta. Na verdade eu não imaginava que estaria falando isso. Quem sabe dá certo? Pensa em um cara que já está muito feliz. Estamos aqui de novo com muito carinho. A cada ano a gente pensa como vai conseguir superar. E essa temporada está sensacional. Todo mundo vai se emocionar como a gente está se emocionando pra fazer esse programa.”

O atual tetracampeão garante que o foco sempre será a galera no palco, fazer um programa bonito e levar alegria para as pessoas que estão em casa. “O nível é impressionante, tem muitas vozes boas. Quando começa aquela fase onde temos que eliminar algumas vozes, fica difícil pra gente porque são sonhos temporariamente interrompidos. A qualidade sobe a cada ano e a gente fica com a responsabilidade de superar o que aconteceu no passado. Esta temporada está sensacional”, garante Teló.

Foto: Victor Pollak

Saiba o que permanece e o que muda em cada uma das fases do programa:

Audições às cegas – Na primeira fase, os candidatos se apresentam e são avaliados apenas pela voz. Os técnicos viram suas cadeiras e montam seus times: Time Ivete, Time Iza, Time Lulu e Time Teló. Se mais de um técnico virar, o participante é quem escolhe com quem quer trabalhar. No total, serão 64 vozes aprovadas, 16 em cada time. O temido – e divertido – botão de bloqueio está disponível durante toda esta fase. Com ele, os técnicos podem bloquear uns aos outros, dificultando ainda mais as escolhas do colega ao lado e impedindo que o talento opte por ingressar no time do rival. O técnico só saberá que está impedido de participar da disputa pela voz se virar sua cadeira.

Batalhas – Com as equipes formadas, os técnicos dividem seus times em duplas para duelar cantando a mesma música. Ao final da apresentação, ele decide qual dos dois candidatos permanece. Nesta etapa, os técnicos podem usar o famoso “Peguei” para resgatar os eliminados de cada performance. Com esse recurso, cada um poderá incluir até três novos participantes no seu time. O botão de bloqueio poderá ser usado também durante as ‘Batalhas’, tirando o time rival da disputa pelo candidato eliminado.

Rodada de fogo – A fase dá início aos shows ao vivo da temporada. Nela, os integrantes dos times se apresentam em duplas ou trios definidos pelos técnicos. Após a performance, cada técnico escolhe uma voz para deixar o programa.

Shows ao vivo – Nesta fase, os participantes de cada time são divididos em trios e quartetos definidos pelos técnicos e o público passa a ajudar na decisão final. Nas apresentações em trio, somente duas vozes seguem na competição: uma escolhida pelo técnico e outra salva pelo público por meio de votação no site do programa. Nas apresentações com quatro vozes, o técnico escolhe um participante para seguir no programa, o público salva uma voz por meio de votação e dois participantes são eliminados.

Semifinal – Dois candidatos de cada time se apresentam individualmente, mas apenas um segue para a grande final. Após o show, o público vota na sua voz predileta. Sem saber o resultado da votação, o técnico escolhe um dos participantes para receber uma pontuação bônus. O candidato que alcançar a maior pontuação, somando o voto do público e o bônus concedido pelo técnico, segue para a grande final representando o time.

Grande final – Na final, cabe ao público decidir quem será o campeão. O vencedor ganha um prêmio de R$ 500 mil e assina contrato a Universal Music.

Escrito por Daiv Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Claudia Leitte lança versão da romântica “Saudade de Você”, com Filhos de Jorge

David Guetta e Martin Solveig se unem no single “Thing For You”