The Ivors Academy lança campanha contra prática do buy-out
Foto: The Ivors Academy/Divulgação
in

The Ivors Academy lança campanha contra prática do buy-out

“Nossa campanha visa capacitar e apoiar compositores de mídia para negociar com sucesso e sustentar suas carreiras”, diz CEO da The Ivors Academy

Uma campanha foi lançada pela The Ivors Academy, associação profissional independente do Reino Unido para criadores de música, e a Musicians Union’ contra a prática de buy-out de direitos autorais musicais. A “Composers Against Buyouts”(compositores contra buy-outs na tradução livre) é apoiado por nomes como David Arnold e Hannah Peel, e destaca o fato de que os autores estão cada vez mais sendo solicitados a vender seu trabalho por uma taxa inicial para uso em TV, filme e publicidade; o que significa que eles cedem totalmente a criação, sem gerar royalties no futuro.

“Entender o negócio de composição é complicado, com compositores em todos os tipos de contratos. É tão importante educar a nós mesmos e uns aos outros sobre o que procurar para que possamos ganhar a vida e sustentar nossas carreiras “, sugeriu Hannah Peel, que escreveu música para Games of Thrones: The Last Watch

O compositor de James Bond Arnold concordou, sugerindo que a nova prática estava desvalorizando um fator-chave em muitas produções. “A música dá vida a filmes e programas e cria uma conexão emocional como nada mais”, sugeriu. “Pode não ser visível, mas é verdadeiramente tangível, e as pessoas que criam essa música incrível devem ter seus direitos protegidos, não corroídos.”

De acordo com uma pesquisa de 2019 da Ivors Academy, 64% dos compositores de mídia viram seus honorários diminuídos nos dois anos anteriores, enquanto 70% trabalharam de graça em algum momento.

“Como uma comunidade de compositores, a Ivors Academy há muito tempo se opõe a aquisições e defendeu royalties”, declarou Graham Davies, CEO da Ivors Academy. “Nossa campanha visa capacitar e apoiar compositores de mídia para negociar com sucesso e sustentar suas carreiras.”

Naomi Pohl, secretária geral adjunta da Musicians’ Union acrescentou que os produtores de cinema, TV e publicidade precisam ter uma maior valorização do trabalho que vai para a pontuação nas negociações com os compositores.

“É cada vez mais difícil para os compositores de mídia ganharem uma vida decente. As taxas de comissionamento devem refletir adequadamente a quantidade de trabalho envolvida na composição e produção de música para as telas e os royalties contínuos ajudam a manter os compositores no mercado”, afirma.

Criado pela The Ivors Academy e Musicians ’Union, a campanha descreve sua visão para o futuro, começando com três princípios fundamentais:

  • Os direitos autorais pertencem ao autor. Isso está consagrado na lei de direitos autorais e é o ponto de partida moral de toda negociação;
  • A música cria conexões emocionais e valor financeiro únicos em uma produção audiovisual;
  • Os compositores devem receber uma parte justa do valor que criam;
  • Apenas os compositores devem decidir quanto de seus direitos cederão. A Cessão Exclusiva de Direitos de Desempenho, e não total, é a melhor forma de salvaguardar o valor a longo prazo.

Saiba mais detalhes sobre o que significa Buy-Out e outras ações no mercado musical global sobre a prática, acessando aqui.

Escrito por Láisa Naiane

BMG: aumento de receita em 2020 e parceria com a KKR

Kim Kardashian posta story ao som de música da Taylor Swift

Kim Kardashian posta story ao som de música da Taylor Swift