in

Termômetro: “The Archer”, da Taylor Swift, é avaliada pelo time do POPline – confira a temperatura final após seu voto

Taylor Swift lançou “The Archer”, uma terceira prévia de seu álbum novo, “Lover”, e ela foi escolhida pela redação do POPline para ser debatida nesta semana aqui no “Termômetro”, a coluna opinativa que avalia músicas e álbuns. Confira as ponderações dos jornalistas e no final não deixa de dar seu voto para definir a temperatura final dessa faixa!

Resenha: Kavad Medeiros

Em meio a notícias de sua batalha contra Scooter Braun e a Big Machine Records, Taylor Swift nos lembrou que ela está prestes a lançar um novo álbum e divulgou mais uma música do projeto: “The Archer”.

A famosa faixa nº 5 do álbum “Lover” é, como os fãs e a própria Taylor apontaram, geralmente a faixa mais pessoal e íntima dos álbuns da cantora. Em se tratando da letra de “The Archer”, isso pode ser uma verdade. Mas a sonoridade da música é algo bem diferente do que os fãs podem estar acostumados.

Com um instrumental bastante linear e que não cresce no decorrer da música, “The Archer” soa como algo que talvez Lana Del Rey também pudesse lançar, mas com mais naturalidade para o seu público.

Com os vocais recheados de eco, dando uma vibe meio etérea à música, há ainda algo de oitentista em “The Archer”, com a batida que vai chegando já com algum tempo de música passada.

O foco de Taylor Swift com “The Archer” é realmente outro. A Taylor Pop, que bota todo mundo pra dançar, aqui faz você parar e ouvir cada palavra cantada na música. A letra é realmente o prato principal aqui.

Tendo dito isso, “The Archer” não é aquela música que vai se destacar em um disco que, esperamos, venha recheado de grandes sucessos, como foram todos os álbuns de Taylor Swift. É uma faixa extremamente pessoal, feita de Taylor para Taylor e seus fãs mais passionais.

Como um grande admirador da carreira de Taylor Swift, desde o comecinho, não canso em dizer que sinto falta sim da Taylor country, mas é bom ver que mesmo no Pop, ela não deixa de nos presentear com grandes composições.

Temperatura: 65º

Amanda Faia

Eu não sou consumista do material da Taylor Swift, mas tenho certeza absoluta que ela é uma das artistas mais inteligentes do mercado há alguns anos. Ela sabe exatamente o que faz e com um álbum com 18 faixas anunciado para agosto (o maior da carreira até agora), Taylor tem que manter o clima para “Lover” em alta. A estratégia recente foi liberar “The Archer”, uma faixa que até o momento é a que mais se distancia dos single “ME!” e “You Need to Calm Down”. As três, na verdade, são bem diferentes entre si. Nesta última, o timbre de voz da cantora muda e mostra uma linha musical que remete a “Wildest Dreams”, do “1989”, e “Dress”, do “reputation”, mas ainda mais melódica. Em relação à letra, Taylor mantém a linha ativa. Às vezes a faixa não faz sentido quando lançada avulso, mas se encaixa na proposta geral do disco. A gente vai ter que aguardar pra ver. Das 3, “The Archer” é, pra mim, a segunda melhor apresentada até agora.

Temperatura: 75º

Leonardo Torres

“The Archer” mostra outro lado do que Taylor Swift está preparando para o álbum “Lover”: a música é totalmente diferente das pop-chiclete “ME!” e “You Need To Calm Down”. Também é menos interessante que as duas. Ela soa como uma daquelas canções menos importantes, que há em todo disco. Se fosse mais curta, poderia ser um bom interlúdio. A melodia linear e simples entedia por tanto tempo. A letra, contudo, chama a atenção. Depois da batalha travada contra Scooter Braun e Big Machine Records, Taylor canta com todas as letras que está pronta para o combate. O que mais gosto nas músicas da Taylor é que ela escreve sobre questões extremamente particulares mas a gente consegue ouvir, se identificar e recontextualizar os versos com nossas próprias histórias. Esse é o ponto positivo em “The Archer”. Quando ela canta que ensaiou uns cem discursos para confrontar alguém e acabou não dizendo nenhum deles… Deus, tão todos nós.

Temperatura: 50º.

Mari Pacheco

O terceiro corte do álbum “Lover” chegou de surpresa e me pegou de surpresa também. Após “ME!” e “You Need To Calm Down”, não esperava que Taylor Swift fosse liberar uma balada como esta. A música vem na contramão de suas antecessoras – que não fazem muito a minha cabeça e me lembram bastante um período da carreira da Taylor que acho pouco interessante, ainda assim lucrativo e bem desenhado para o consumo. “The Archer”, em sua primeira estrofe, me lembrou demais Lana Del Rey e me apresentou uma Taylor Swift um pouco mais madura, mais adulta. Este para mim é o ponto alto da música. Vejo aqui ela passear por timbres e sonoridades distantes daquelas que lhe fizeram uma super estrela do pop. Me deixou com vontade de escutá-la novamente? Não. Entretanto, a música me deixou intrigada a respeito de qual caminho ela deverá traçar com o “Lover”. Me deixou com aquela sensação de 50/50 sobre amar ou passar batida pelo lançamento do disco.

Temperatura: 60º.

Agora é sua vez

Nesta nova versão do “Termômetro”; a nota final da música terá contribuição também da audiência. Nossa redação já escolheu a temperatura para “The Archer”, mas tudo pode muda quando você vota! Registre sua opinião no nosso Instagram Stories.

46% dos nossos seguidores votantes decidiram que a música é “quente”, sendo essa a nota da audiência. Confira acima a temperatura final!

Escrito por Leonardo Torres

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iggy Azalea relembra “Fancy”, maior hit da sua carreira: “sem esse clipe, nem acho que teria uma música no top 40”

41 milhões ou 3 milhões? Após veredicto de plágio, justiça conflita sobre lucros de Katy Perry com “Dark Horse”