Renan Dal Zotto e Paulo Fellin | Foto: Fran de Campos/Divulgação
in

Técnico da seleção de vôlei e ex-vice-presidente do Rock In Rio investem no mercado de música eletrônica

A música eletrônica movimenta um mercado de valor estimado em 7,2 bilhões de dólares no mundo todo e que, mesmo afetado pela pandemia, tem grandes perspectivas de crescimento para os próximos anos. Tanto que está atraindo investidores de outros ramos que veem no gênero um mercado frutífero a ser explorado.

Com 35 anos de experiência na produção de grandes eventos de porte nacional e internacional, o empresário Paulo Felline – que foi diretor geral e vice-presidente do Rock In Rio, e fez todas as contratações artísticas  em 17 edições do festival dentro e fora do Brasil, se uniu a Renan Dal Zotto, técnico da seleção masculina de vôlei, e agora a dupla faz parte do quadro societário do Grupo House Mag.

“Essa parceria pode trazer para o grupo um pouco do conhecimento que eu desenvolvi com a produção de grandes eventos no Brasil e fora, relacionamento com artistas e com o mundo empresarial internacional, abrindo horizontes para o negócio em todas as frentes”, explica Fellin.

O Grupo House Mag, que surgiu em Florianópolis em 2007 e acompanhou o crescimento do gênero que movimenta bilhões de dólares ao ano no mundo todo, é composto por um grande hub da música eletrônica, com eventos, gravadora, revista especializada, gerenciamento de carreira artística, cursos de produção musical e detém hoje um portal de notícias especializado premiado pelo Brasil Music Conference, o maior evento de music business da cena eletrônica da América Latina.

“Vemos a House Mag como uma empresa 360 graus, olhando o mercado como um todo. Não vamos ficar vinculados somente a artistas ou eventos e merchandise. Estamos observando e entrando em um mercado consistente que cresceu muito nos últimos anos”, diz Dal Zotto.

Apesar de ainda sofrer com restrições de circulação de pessoas e de horários de funcionamento, o mercado da música eletrônica soube tirar muito proveito do digital. No mundo virtual, as festas nunca pararam e, além de ditarem uma tendência que deve se consolidar – mesmo com a volta dos eventos, mostra que o setor continua aquecido e com público cada vez maior, concordam os novos sócios do Grupo House Mag, com o otimismo de quem acredita que após uma grande crise vem o momento de rápida expansão do setor.

Escrito por Rafa Ventura

Podcast POPline na FM O Dia: “Girl From Rio”, de Anitta, será um “álbum para gringo ver”?

TikTok acorda pagar R$ 500 milhões em processos de privacidade e divulga relatório de transparência