banner com link para rádio globo
Foto: Divulgação
in

SUBA, Musickeria e Manu Carvalho se unem em joint venture e criam a Lin.C

A expectativa dos sócios é de que a Lin.C alcance R$ 10 milhões de faturamento em 2022 

A SUBA, Musickeria e Manu Carvalho, fundadora da Match & Co, se uniram para lançar no mercado uma joint venture intitulada de Lin.c. A empresa visa ser o primeiro hub a unir experiência e influência com o objetivo de desenvolver conteúdos que expandam e perenizem o vínculo entre marcas e audiências de grandes eventos nas áreas de cultura e entretenimento, inovação e tecnologia, moda e esportes.

Leia mais:

A Lin.c atuará de forma ampliada à tendência das marcas atuando como publishers, ao mapear eventos estratégicos e, a partir de suas características e das necessidades do anunciante, formar times de influenciadores sob medida, que trabalharão na criação e construção de branded content. Entre os primeiros eventos para os quais estão sendo formuladas propostas estão o Festival SXSW, o Rock in Rio e a Copa do Mundo de 2022.

“A relação das marcas com grandes eventos, na maioria dos casos, se dá por meio de uma ativação circunscrita ao período de realização de um evento. A Lin.C propõe um novo olhar para essas parcerias, através da geração de conteúdos antes, durante e após os eventos, a fim de construir um vínculo capaz de expandir essa experiência entre as marcas e as audiências para além do momento em que atração acontece”, explica Guilherme Fracaro, sócio e diretor da divisão de marcas da SUBA.

Guilherme Fracaro, sócio e diretor da divisão de marcas da SUBA | Foto: Divulgação

Segundo o executivo, a expectativa é de que a Lin.C alcance os R$ 10 milhões de faturamento em 2022. A Lin.c também responderá a briefings sob demanda, para datas promocionais como Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Dia das Crianças, Black Friday e Natal, e calendários sazonais estratégicos para distintos segmentos de mercado.

Segundo dados da Abrape (Associação Brasileira dos Promotores de Eventos) em patamares normais, o Brasil registra uma média anual de 440 mil eventos. Para Flávio Pinheiro, sócio da Musickeria, revelou que mesmo com o eventual impedimento, devido a pandemia, da plena presença física do público nos eventos, eles não só não deixarão de acontecer, como se tornarão ainda mais relevantes no playlist das pessoas.

“As audiências estão sedentas por conteúdo, entendemos a necessidade das marcas de estarem em sintonia com essa demanda, e podemos ajuda-las a construir e manter essa conexão, mesmo em meio a um cenário tão desafiador”, declara Flávio.

Flávio Pinheiro, sócio da Musickeria | Foto: Divulgação

A capacidade de apoiar a navegação das marcas nesse desafio passa pelo entendimento de que, após um longo período de isolamento, os eventos, antes vistos como oportunidades de contato social, passam a assumir caráter mais importante na vida das pessoas.

“As expectativas sobre qualquer experiência estão mais altas, pois não haverá uma “volta ao normal”, e sim o desejo de algo melhor. Os formatos híbridos vieram para ficar, e a concepção dos eventos deverá levar em consideração essa terceira dimensão, que se soma às camadas real e virtual. E os dados vêm para apoiar experiências mais personalizadas e dinâmicas, muitas delas em tempo real”, considera Manu Carvalho, jornalista e influenciadora.

Manu Carvalho, fundadora da Match & Co | Foto: Divulgação

Prospectando clientes que estejam interessados em fazer “parte de conversas genuínas, contemporâneas e relevantes para o seu público”, os sócios da Lin.C enxergam grande oportunidade junto a marcas das áreas de comunicação/telecom, tecnologia, cuidados pessoais, varejo e financeira.

Escrito por Rafa Ventura

Carol Biazin anuncia single “Garota Infernal”, com elementos do trap

POPline Charts by STRM: João Gomes lidera e Linn da Quebrada estreia no Top 30 Brasil da semana