banner com link para rádio globo
Foto: Diego Ruhan/Divulgação
in

Sonastério lança série musical e fala sobre pandemia e novo selo

A primeira atração do Sonastério ilumina é a banda Maneva e foi ao ar nesta quinta-feira (17)

Muita gente conhece a Sonastério pelo estúdio arrojado, montado no alto da paz da serra mineira. Mas, a produtora vem investindo muito em projetos proprietários e tem mostrado para o mercado a qualidade da entrega dos seus produtos, como é o caso do recém-lançado Sonastério ilumina.

O projeto, uma série musical audiovisual idealizada e produzida pela produtora Sonastério, traz performances de diversos artistas como a banda Francisco el Hombre, o rapper Djonga e o cantor Zeeba. Mas quem inaugura a série, nesta quinta-feira (17), e traz luz ao projeto, é Maneva, com seis versões inéditas de sucessos do grupo.

Foto: Diego Ruhan/Divulgação

O episódio de estreia, “Maneva ilumina Sonastério”, disponibilizado no canal YouTube da produtora, foi gravado em uma experiência de 03 dias. “Participar do Sonastério ilumina, para nós, foi uma experiência sensacional. Além de nos conectar com a natureza e com a música de uma maneira diferente, essa imersão musical acabou nos juntando também de uma forma que há tempos não acontecia”, revela Tales de Polli, vocalista da banda.

O projeto ainda traz um mini documentário sobre a banda, confira:

Dirigida pelos sócios Bruno Barros, Fred Pedrosa e João Andrade, a Sonastério se consolidou como uma das maiores produtoras em qualidade sonora e área construída no Brasil, oferecendo uma experiência única para os artistas. “A gente é muito conhecido pelo estúdio, mas na real somos uma produtora. A ideia de ter projetos como este não é pontual, é realmente um modelo de negócio”, revelam os sócios em entrevista ao POPline.Biz é Mundo da Música.

Bruno Barros, Fred Pedrosa e João Andrade, sócios da Sonastério | Foto: Diego Ruhan/Divulgação

Os empresários também contaram que a seleção dos artistas para o projeto vai além do tamanho, é focada no talento, impacto e expressão artística. Garantem que buscaram artistas e bandas que se destacam em suas performances ao vivo.

“A ideia é ter um line up diverso, com inspiração nos festivais de música e trazer algo parecido para o nosso canal. Vamos ter muitos artistas que conversam com o público jovem, que está na internet… mas, podem esperar surpresas, não vamos nos ater só a isso. A ideia é ter diversidade, da música e das artes. Tanto com artistas de diferentes gêneros, estilos e tamanhos, como a interação com vídeo e fotos”, revelam.

“A escolha é feita com base no talento, impacto e expressão, não tem a ver com tamanho. Às vezes pode ser um artista pequeno, mas com expressão e que está em ascensão, mas que já vimos que tem muito talento. Além de artistas e bandas que se destacam em performances ao vivo”, completam.

Impactos da pandemia

Esse é o primeiro projeto mais robusto que vai a público com concepção e produção assinada pela Sonastério. Mas, desde que a pandemia começou e impulsionou todo o setor do entretenimento a recalcular as rotas e tomar novos rumos empresariais, que a empresa vem buscando se adaptar ao mercado de forma assertiva e com qualidade.

“A pandemia para gente teve vários momentos positivos e negativos. No começo, tivemos que cancelar dois meses de estúdio, caíram todos os trabalhos. Mas depois vieram as lives que deram uma boa alavancada. Fizemos lives bem legais, que nos possibilitaram conhecer um mercado novo, um produto que ainda não trabalhávamos, que era o ao vivo”, contam os sócios.

A empresa produziu, por exemplo, a live do Samuel Rosa com o filho Juliano Alvarenga, Toninho Horta e Lagum. “A ideia é trabalhar muito pouco como estúdio para artistas, e muito como uma produtora que faz seus próprios produtos, que tem seus próprios projetos. O estúdio é uma ferramenta de trabalho para nossa produtora”.

Para aumentar a receita, os sócios focaram nos cursos online para contribuir com o caixa da empresa para além da música. A Universidade do Áudio (UA) é a primeira plataforma online de ensino de Engenharia de Áudio e Produção Musical do Brasil, que em breve terá também um curso completo sobre Music Business.

Já falando sobre o novo projeto, o Sonastério ilumina, os sócios revelam que a pandemia mudou todo o planejamento. “Tínhamos montado o nosso planejamento logístico em cima de shows que iriam acontecer em Belo Horizonte”.

“Os artistas que já estariam em BH ficariam mais uns três dias no estúdio para gravar um episódio. Sem os shows, tivemos que repensar a logística, os primeiros artistas do lançamento e mudamos a data para fazer tudo de uma maneira mais adequada com o novo cenário”, contam.

E tem mais…

A pandemia também impulsionou os sócios a focar em um projeto novo, um Selo musical. Já em fase adiantada, o selo prevê lançar novos artistas ainda em 2021. “Acreditamos que no segundo semestre deste ano já saiam alguns trabalhos do selo. A ideia é fomentar artistas muito talentosos que muitas vezes não tem destaque no mainstream”.

Um dos artistas já confirmados é o músico Gustavo Fofão. Muito conhecido no meio por suas aulas de violão no Cifra Club, o artista vai lançar o seu primeiro álbum de violão fingerstyle pelo selo. Além dele, os sócios revelam que tem um banda de choro e uma de jazz que também já estão em produção.

Ficou curioso para assistir o “Maneva ilumina Sonastério”? Só clicar aqui:

Escrito por Rafa Ventura

BTS: Crítico compara Jungkook a Michael Jackson e Bruno Mars

Beijo e Bye Bye

Beijo e Bye Bye: MC Rebecca sensualiza com gogoboys em clipe