in ,

Scooter Braun quebra o silêncio sobre polêmica envolvendo Taylor Swift

Scooter Braun esteve nesta quinta-feira, 21 de novembro, em uma conferência do Hollywood Chamber of Commerce. Grande empresário de mundo da música, ele respondeu perguntas dos que estavam presente. Um assunto que ele não pôde fugir foi a polêmica envolvendo Taylor Swift, algo que ele não tinha feito até agora.

Antes de ir à declaração, relembre o tema. Tudo começou quando ele adiquiriu a gravadora Big Machine – incluindo todo o catálogo de Taylor Swift até o álbum “reputation”. A cantora não ficou satisfeita. Em carta aberta, ela disse no mês de junho: “Este é o meu pior cenário. É o que acontece quando você assina um contrato aos quinze anos com alguém para quem o termo ‘lealdade’ é claramente apenas um conceito contratual”.

Alguns meses depois, ela encontrou dificuldades para ser liberada para cantar suas músicas antigas na premiação American Music Awards. “Isto está errado. Nenhum desses homens teve participação na composição dessas canções. Eles não fizeram nada para criar o relacionamento que tenho com meus fãs. Então é aqui que estou pedindo sua ajuda”, soltou.

Relembrou? Então vamos ao assunto de hoje… Scooter falou sobre o tema, mas tentou abordar de forma geral, não obtendo detalhes.

“Não falei sobre isso há seis meses. Nem uma vez. Eu não fiz uma declaração sobre isso ”, disse ele. “Quando há muitas coisas a serem ditas e muitas opiniões diferentes, os principais envolvidos ainda não tiveram a chance de se falar, há muita confusão. Não vou entrar em detalhes aqui, porque esse não é o meu estilo. Eu apenas acho que vivemos um tempo de divisão tóxica e de pessoas que pensam que a mídia social é o lugar apropriado xingar os outros e não ter conversas. E eu não gosto de políticos fazendo isso. Eu não gosto de ninguém fazendo isso, e se isso significa que eu tenho que ser o cara malvado por mais tempo, eu vou ser o cara malvado por mais tempo, mas não vou participar”.

Braun acabou falando sobre a declaração oficial da Big Machine que afirmou que a empresa e Swift estavam efetivamente negociando antes de, por sua conta, interromper com uma declaração nas redes sociais sobre os problemas envolvendo a performance do American Music Awards.

“O que vou dizer é que as pessoas precisam se comunicar e, quando as pessoas conseguem se comunicar, acho que resolvem as coisas”, disse Braun. “E acho que muitas vezes as coisas são falhas de comunicação, porque acredito que as pessoas são fundamentalmente boas. Eu acho que existem muitos problemas reais no mundo e acho que esses problemas que estão sendo pautados podem ser discutidos a portas fechadas e resolvidos com muita facilidade, é algo que eu queria fazer por seis meses. É difícil, porque eu posso lidar com isso com muita facilidade, mas quando chega a um lugar onde há ameaças de morte e escritórios sendo chamados e pessoas sendo ameaçadas… Ficou fora de controle. E acho que as pessoas precisam se unir e conversar, porque não é para isso que estamos nesse setor”.

Scooter Braun refletiu como estar envolvido em tantas polêmicas influencia em sua vida pessoal.

“E a única coisa boa para mim é que, quando você é atropelado, descobre quem são seus amigos de verdade rapidamente. Assistir algumas pessoas do setor que podem sorrir na sua cara e, de repente, você tem um pouco de desgaste e elas tentam chutá-lo ainda mais, isso não me incomoda, mas me avisa onde eu fico. A verdade é que não tenho má vontade para ninguém. E no momento em que as pessoas querem conversar comigo, eu estou pronto para ter essa conversa e não vou adicionar à narrativa. Eu discordo, mas não vou adicionar à narrativa. Eu só quero consertar as coisas e dar um exemplo melhor para as pessoas”.

Nesse ponto, o empresário começou a comparar a situação com o atual cenário político.

“Vou apenas dizer em uma escala maior. Não gosto de ver isso na política. No momento, estamos em um momento assustador, em que as pessoas dizem coisas e as pessoas podem não estar na mentalidade certa, fazendo coisas realmente horríveis. E estamos incentivando tudo isso, continuando esses argumentos em público. Só precisamos ir atrás de portas fechadas e ver se podemos conversar. E se não estamos conversando, acho que não vamos encontrar uma solução “.

“Eu sei que essa será a coisa mais controversa que eu digo. Eu não sei onde nós erramos ao longo do caminho que decidimos ser politicamente corretos é mais importante do que ter uma resolução de conflito… As pessoas podem crescer como seres humanos. Eles têm permissão para ter conversas. Eles têm permissão para mudar de ideia. Eles podem deixar de não gostar um do outro ee vice-versa. Mas você não descobre isso apenas gritando um com o outro. Você descobre isso mostrando respeito um ao outro e conversando”.

Questionado o que ele faria no domingo, quando é exibido o American Music Awards, ele simplesmente se despediu e saiu do local.

Escrito por Caian Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pabllo Vittar se emociona ao receber prêmio de “Drag Hero” em premiação britânica: “no Brasil não está fácil, mas ainda estou caminhando”

“One More Try”: Jessie J lança nova música produzida pelo hitmaker Max Martin